Sobre acreditar

Acho que acreditar é ter fé, ter certeza e apostar veemente que algo/alguém vai atender suas expectativas

Talvez aí esteja o problema: criar expectativas. Provavelmente somos condicionados a esperar que tudo ocorra como queremos, mas infelizmente, na maioria das vezes, são situações que estão completamente fora do nosso controle

Esperar ser contratado por aquela empresa, fidelidade em um relacionamento, ganhar na Mega-Sena são coisas que dependem de um contratante que te ache bom o suficiente, alguém que te “ame de verdade” (assunto para um outro texto) ou de sorte em um sistema-não-fraudulento.

Percebem? É comum assumirmos a culpa: “eu errei. Eu criei expectativas demais. Eu acreditei”, mas repita comigo: “Eu não sou totalmente responsável por coisas que não estão sob meu controle. A culpa não é 100% minha.”

A grosso modo, não precisamos nos martirizar por expectativas não atendidas e vida que segue. Doloroso, mas temos vontades individuais que se aplicam e afetam uma sociedade. Dependemos de terceiros.

Queria muito o emprego dos sonhos, a fidelidade no relacionamento e principalmente o estrondoso prêmio da Mega-Sena. Fiz o que achei que seria a minha parte e hoje percebo que se tudo não ocorreu como gostaria a culpa não é só minha. Nem sua. Nem de ninguém.

Entender (e não se conformar) que as coisas simplesmente dão errado talvez seja um pequeno passo pra gente, mas um grande passo para a vida adulta e a maturidade.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.