Semana 42: 40ª Mostra!

Os filmes que quero ver, com horários e locais de exibição. Adicionei cerca de 10 minutos à previsão de término de todos para me adiantar a eventuais imprevistos.

O Bravus Race da cinefilia local chegou junto com o Purge SP iniciado pela chuva de ontem. Só agora tive tempo de jogar aqui — depois de ter averiguado por horas ao longo de dois dias todos os títulos que vão passar por essa 40ª edição da Mostra — onde vou investir minha fé em novos autores. Foquei em filmes 1) de línguas que possivelmente nunca vou aprender; 2) que não vão chegar pelas vias normais de distribuição no BR, quiçá cine-torrent; 3) que já fizeram algum barulho entre a crítica via festivais de cinema europeu, onde costumam ter suas primeiras exibições (Cannes, Veneza, Berlim, San Sebastián, Locarno) ou nos países onde já foram lançados; e 4) que possuem uma sinopse minimamente instigante.

Os tora-lombra nessa programação de 322 títulos:

  • Entre documentários: Se a sinopse cabe numa matéria de revista, não precisa filmar. Não achei nenhum que justificasse ir além de umas seis páginas de piauí, quanto mais 90 minutos no cinema, depois de gastar com transporte para chegar lá, via ingresso de, no mínimo, R$ 18,00.
  • Hot topics!!!!: Tem um punhado de filmes na 40ª Mostra com imigração disparando enredo. Assim como dava para fechar uma semana de dois filmes por dia em 2011 só sobre a Primavera Árabe. Como a edição de 2010 foi invadida (hã-hã) por obras sobre a ocupação americana no Afeganistão e no Iraque, e por aí vai. É raro ver um autor duradouro emergir de filmes tão ligados ao factual porque quem decide abordar temáticas ainda expostas diariamente em telejornais tem pressa para engrossar o coro que chama atenção para uma posição/causa/problema. Essa velocidade faz com que o cuidado com a ficção seja preterido pela urgência da causa, deixando esses filmes mais próximos de uma simulação produzida por um telejornal do que de cinema de fato.
  • Câncer terminal como último alerta de autodescoberta:
    http://40.mostra.org/br/filme/8827-AS-ASAS-DO-MEU-PAI
    http://40.mostra.org/br/filme/8855-A-BOA-ESPOSA
  • Premiado em Sundance? As sinopses dos filmes abaixo só confirmam que o festival do Robert Redford é mais eficiente que o Framboesa de Ouro em apontar o que há de mais quente em lixo cinematográfico:
    http://40.mostra.org/br/filme/8837-TEMPESTADE-DE-AREIA
    http://40.mostra.org/br/filme/8813-LA-CIENAGA---ENTRE-EL-MAR-Y-LA-TIERRA
    http://40.mostra.org/br/filme/8887-A-ATRACAO
  • Filmes sobre competições de música — o subgênero mais constante e irritante da Mostra:
    http://40.mostra.org/br/filme/8795-O-SONHO-DE-MARArsquoAKAME
    http://40.mostra.org/br/filme/9001-O-IDOLO
  • Na programação deste ano, não um, mas dois filmes baseados n’O Estrangeiro do Camus. Abordar o hot topic do momento usando uma das alegorias mais manjadas do século XX:

http://40.mostra.org/br/filme/8873-SOMOS-TODOS-ESTRANGEIROS
http://40.mostra.org/br/filme/8889-O-SOL,-O-SOL-ME-CEGOU

  • Autobiografia de gente que se curte demais, tal e qual esse casal brasileiro que se mudou para Berlim e fez um filme sobre um casal brasileiro que se muda para Berlim onde o próprio casal interpreta o casal brasileiro que se muda para Berlim. E esperam que você pague caro pelo ingresso e pelo transporte para chegar no cinema e assistir a um blog:
    http://40.mostra.org/br/filme/8826-MUITO-ROMANTICO

Tem muito mais dealbreaker nessa programação extensa. Mas o mais irritante é quando acertam na curadoria e erram na entrega: A Grande Ilusão, um dos pouquíssimos filmes exibidos em 35mm, terá apenas uma exibição, no vão livre do MASP. Impor à audiência a divisão desse Renoir/Gabin genial com o trânsito da Paulista é um sacrilégio tão grave quanto sussurrar no túmulo dos Lumière “tv é melhor que cinema”.