MetaAmorFrases

Escolhemos o que vivemos
Escolhemos, nem sempre, o que lembramos
Escolhemos os toques do vento
Recolhemos olhos em pranto

O que fazemos com um olhar caído
Reflete no que, caído, faz o nosso olhar
Como encaramos o vale e o pico
Reflete no micro feliz, nano amar

O amor muitos entendem de formas diferentes
Mas fingimos ter mesma linguagem
Sentimento julgado inerente
Inerte, singelo, ardente ou sem verdade

O problema de uma língua profunda
É ter muitos lugares para tocar
Permite a polissemia, ambígua
Se torna em cada seu lar

Humanos tocam fogem 
Aproximam e se deixam
Deixam a si, deixam de deixar
Humanos sempre espiralam
Em luz que teima nos acertar

Se pudesse ser servo
O silêncio, meu pastor
Se pudesse ser velho
Morte, amiga, meu senhor

Não me encontraria com frequência
Trabalharia para o mestre
Olharia na olaria do campestre
Toda a minha excelência

Nossa excelência se esconde
Na planície sem arbor’
Nossa vivência é feito ponte
Liga onde a gente for

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.