Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades

Clássica frase do filme do O Homem Aranha. Assisti o lançamento do filme no cinema, em 2002. Nunca me esqueci da cena do tio Ben e Peter Parker no carro, onde tio havia notado que o sobrinho estava mudando e lhe solta as seguintes palavras:

Espere um pouco Peter, vamos conversar […] sua tia e eu não sabemos mais quem você é. Você foge das tarefas, faz experiências estranhas no seu quarto, se mete em brigas na escola […] Peter você está mudando, eu sei […] é nessa fase que um homem define aquilo que ele acabará sendo pelo resto de sua vida. Cuidado com o que você vai ser! (silêncio no carro por uns segundos) .. lembre-se: Com grandes poderes, vem grandes responsabilidades!

Se quiser, assista a cena aqui.

Sim, era só um filme de super herói da Marvel Comics, mas as palavras do tio Ben fizeram muito sentido pra mim e nunca me esqueci delas. Esses dias, lendo o evangelho de Mateus, vi palavras de Jesus que me lembraram o filme:

E, chamando os seus doze discípulos, deu-lhes poder sobre os espíritos imundos, para os expulsarem, e para curarem toda a enfermidade e todo o mal.
 [Mateus 10:1 — ACF]

Depois, já ressuscitado:

E os onze discípulos partiram para a Galiléia, para o monte que Jesus lhes tinha designado.
 E, quando o viram, o adoraram; mas alguns duvidaram.
 E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra.
 Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
 Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.
 [Mateus 28:16–20 — ACF]

Entendendo que toda igreja tem um chamado apostólico, nos enxergamos também nas palavras de Jesus acima. Entendemos que como igreja, somos uma sucessão do ministério de Jesus aqui na terra. Desse modo, Jesus nos muniu de “poderes espirituais”.


NOTA DO AUTOR: Sendo bem objetivo e sem a intenção de me aprofundar muito nessa questão, não somos nós os poderosos, mas o Espírito Santo em nós expressa o poder de Deus, conforme Atos 2.38. Caso queira saber mais sobre o assunto, já escrevi sobre a respeito aqui.


Voltando a refletir sobre as palavras do tio Ben, será que nós, como igreja de Cristo, dotada de poderes espirituais, tem assumido a responsabilidade a qual Cristo nos confiou? Qual a essência da igreja? Sim, sabemos que “a igreja somos nós [pessoas]”, mas sabemos também que Deus nos chamou como comunidade para ser uma expressão do seu reino aqui na terra.

A essência da igreja

Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.
 [Mateus 5:14–16 — ACF]

Jesus diz que nós, igreja, somos como uma cidade edificada e iluminada sobre o monte. Disse que nós somos a luz do mundo, e edificada em destaque sobre um monte faz de nós uma cidade inescondível. É impossível que se passe despercebido por uma cidade iluminada e edificada sobre um monte.

Esse elemento “luz” que Jesus utiliza pra ilustrar aquilo que ele estava ensinado, é muito interessante. Afinal, qual é o oposto de luz? Trevas. Então se existe uma cidade que está edificada sobre um monte e Jesus diz que ela é a luz do mundo, então essa cidade está rodeada e escuridão. A luz só é luz onde não tem luz. Imagina acender uma lâmpada ao lado do sol, ninguém chamaria essa lâmpada de “iluminada”. Agora acenda-a dentro de uma sala escura e você entenderá o que é “ser luz”. A verdade é que a igreja ela só não é uma cidade edificada e iluminada sobre um monte, mas ela está inserida num contexto existencial tenebroso e caótico.

Isso justifica a visão apostólica que diz que “o mundo jaz no maligno” (1 João 5.19), que quer dizer que o deus desse século cegou o entendimento das pessoas que não conseguem discernir a glória de Deus em Cristo Jesus. Quando fala “mundo”, está falando de estrutura social (política, familiar, etc..).

Reino de Deus

A igreja, então, rompe a escuridão com seu brilho. Ela é portadora do Reino de Deus, ou como alguns teólogos definem, “Reinado de Deus”, pra que não se entenda como uma jurisdição geográfica, mas como governo. Quando Jesus orou “Vem a nós o Teu reino, seja feita a tua vontade como na terra como no céu” (Mateus 6.10) se referia que a vontade de Deus não é feita na terra. A igreja, então, é um contraponto, é a comunidade que faz a vontade Deus.

O Reino de Deus está inaugurado em Jesus, porém não consumado. Por tanto, o que temos hoje no mundo são sinais do Reino de Deus. A igreja é a comunidade responsável de sinalizar o Reino de Deus. Ela é portadora da luz de Deus, que poderosamente muda esse mundo, você tem essa a luz, e com grandes poderes vêm grandes responsabilidades. Precisamos assumir a nossa!

No amor, Tihh Gonçalves ©


Esse artigo é um rascunho de uma pregação que ministrei dia 11 de março de 2017, num NEXT (culto) da igreja Estação.


Originalmente publicado em Tihh Gonçalves.