Identidade

Santidade não é uma padrão de espiritualidade, mas é um padrão de humanidade.

Jesus é o segundo Adão. É como se Deus dissesse “eu te criei pra ser assim, e não daquele jeito”.
É como dizer que Santo não é o cara que menos se suja, mas sim o que mais se limpa.
É dar um passo atrás e não à frente.

Ser santo não é “subir de nível” mas (re)conhecer nossa própria natureza que foi lindamente criada por Deus. 
Precisamos nos reconciliar urgentemente com nossa humanidade. Os primeiros passos pra quem busca uma vida de santidade é de tornar o presente um lugar de recomeço e reconstrução, pois desde o ponto de partida fomos feitos perfeitos e com excelência por Deus.

Humanizados, percebemos a coletividade e complementatividade de cada pessoa criada por Deus, e assim percebemos que Santidade não tem nada a ver com “ir a um nível acima no universo espiritual pra ser salvo, enquanto nosso irmão do lado está, antecipadamente, vivendo um inferno existencial”, mas é se preocupar, consigo mesmo e com o outro, e juntos repararem erros, celebrarem vitórias, e deixarem o lugar-superior pra quem realmente é digno de tê-lo: Cristo.


* Por Tihh Gonçalves ©

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Tihh Gonçalves’s story.