E a sua independência, quando você vai comemorar?

Por Diogo Carvalho
Economista e Professor de Finanças na Faculdade Senac


Nesta quarta-feira o Brasil comemorou 194 anos de sua independência, proclamada em 7 de setembro de 1822 por D. Pedro. Há uma intensa discussão sobre a real independência do país pelo fato de não termos autonomia tecnológica em diversos segmentos produtivos e por demandar capitais externos para investimentos, dada a nossa insuficiência de poupança interna. O que nos torna dependente da economia-mundo. Mas a questão central desse artigo não é a independência, comemorada ou de fato, do país, mas a sua! Não que a autonomia do país não seja importante, mas a tua independência financeira será construída com as regras do jogo da economia de fato.

Em um primeiro momento a reflexão a ser feita é: o que é independência? Um adolescente, no auge de sua rebeldia peculiar à idade, talvez tenha a resposta certa: é poder fazer tudo que eu quero! Desconsiderando a rebeldia, a independência é exatamente poder ter liberdade de fazer tudo aquilo que se queira, ou melhor, aquilo que se deseja. Ter essa liberdade tem um preço, por isso no parágrafo anterior mencionei independência financeira. O que nos motiva a construí-la? A vontade de realizar nossos sonhos. Como construí-la? Através de um planejamento alinhado com as ambições de cada um: quanto deseja ganhar na aposentadoria, qual a renda mensal desejada de teus investimentos daqui a 10 ou 20 anos, com qual frequência quer viajar para os lugares que aprecia etc.

Não há atalhos nem fórmulas mágicas para atingir a independência financeira. O que existe é um conjunto de ferramentas aliada ao comprometimento do indivíduo que, ao logo da linha da vida, irão permitir atingir cada objetivo traçado e, quando necessário, fazer os devidos ajustes. Pois ao longo da vida as preferências e desejos mudam: geralmente pensamos diferente a cada fase da vida e fatos como mudança de cidade, casamento, filhos demandam que se recalcule a rota novamente! O que não pode mudar é a capacidade de atribuir um bom valor ao amanhã, observado em um bom planejamento edificado hoje.

Na colocação dos projetos na linha da vida, duas ferramentas se destacam: o tempo e a capacidade de poupança. Não podemos ter tudo ao mesmo tempo. Temos que fazer escolhas e estar dispostos a abrir mão de alguma coisa hoje para um benefício maior no futuro. O simples entendimento disso possibilitará uma reorganização do seu fluxo de caixa pessoal, ajustando receitas e despesas, definindo tua capacidade de poupança e projetando teus investimentos, resultando na tua independência financeira. Com certeza todo dia será feriado nacional quando atingires a tua independência financeira!


Curtiu o texto? Clique no ❤ e deixe a gente saber disso.

Tem algum comentário ou pergunta? Escreva uma resposta ou deixe um comentário.

Siga-nos por aqui no Medium, estamos sempre com novos conteúdos e assine nossa newsletter aqui.

Onde mais estamos:

Youtube — Nosso site — Facebook