Forge of Darkness — A Forja das Trevas (Trilogia Kharkanas #1) de Steven Erikson — Um Portal de Entrada para o Mundo de Malazan! #fantasia #resenha

Steven Erikson é, para mim, um dos melhores escritores contemporâneos em qualquer gênero. O pequeno milagre literário de ter um escritor desse naipe dedicado à fantasia é algo que agradeço ao cosmos a cada livro que o canadense lança (ô país que só cria escritor fodásico, como William Gibson, Margaret Atwood, R. Scott Baker, etc!). Depois de encerrar a gigantesca saga Malazan (10 livros, mais de 300 mil palavras cada, 3 milhões e 300 mil palavras no total), o cara retorna ao mundo de Malazan, resolvido a contar suas origens. E nessa volta, novamente, revolucionar a fantasia contemporânea.

Malazan foi como uma bomba no nicho da fantasia brutal militarista, mesmo com Steven Erikson sendo um autor mais cult, com livros difíceis e que criaram uma legião pequena mas fanática (onde eu me incluo hahahahaha) de fãs. Na série Malazan, Steven criou uma espécie de anti-fantasia, uma crítica com toques pós-modernos ou pós-estruturalistas (dependendo do gosto do freguês) dos tropos (tropos não são clichês pessoal, pelamordocosmos!, clichês é preguiça de escritor, tropo é estrutura narrativa) tradicionais da fantasia medieval.

E agora, com a trilogia Kharkanas (a primeira de mais duas trilogias, a segunda vai ser dos Toblakai, os bárbaros berserker de 2 metros emeio de altura e quatro pulmões DOIDIMAIS VÉIO!!!), Erickson abandona a crítica pós-moderna e faz um retorno adulto para o formato tradicional de trilogia de fantasia, com toda brutalidade e intensidade emocional característica de seus textos. É um Neoclassissimo de fantasia, o que acho que torna Forge of Darkness mais acessível para leitores que não conhecem a obra do Steven.

Então é esse o ponto que quero deixar com esse texto: Forge of Darkness é uma ótima introdução ao mundo de Malazan, mesmo que você não tenha lido a saga monstra. A história é fechada e não necessista conhecimento prévio. Vou recomendar sempre esse livro para quem queira conhecer Malazan.

Já a galera que leu os livros anteriores vai endoidar, eu digo, VAI ENDOIDAR! Eu fiquei só gritando MASSAVÉIO, MASSAVÉIO, todas as vezes que o jovem Anomander Rake (sim esse livro conta a história do Anomander, o que já é o suficiente tornar o livro leitura obrigatória para qualquer fã de Malazan). Forge of Darkness revela também alguns dos mistérios da saga Malazan, e a origem da tragédia dos Tiste Andii. Além de mostrar o Caladan Brood, o Hood, e muitos outros!

A narrativa se passa em Kurald Galain, a reino das Trevas, onde Mãe Treva vive, um mundo-dimensão onde vivem os Tiste Andii (os elfos ou anti-elfos do Erickson).

O reino de Mãe Treva, uma imperatriz-deusa imortal do aspecto das Trevas , que se recupera de uma guerra horrenda contra os Dogrunners (os Corre-Cães, uma raça de licantropos poderosos mas primitivos) está prestes a entrar em guerra civil, quando Vatha Urasander, herói da guerra contra os Corre-Cães e com milhares de seguidores e líder da maior legião de soldados do reino, é escolhido pelos Altos Lordes (com o apoio da população) para ser o marido de Mãe Treva e assim se tornar o rei de todos os Tiste Andii.

Porém, Mãe Treva escolheu Lorde Draconus, um outro herói de guerra e portador de poderes misteriosos para ser seu Consorte. E no meio desse conflito estão os Primeiros Filhos das Trevas, Anomander Rake, Andaris e Silchas Ruin, filhos de Mãe Treva e considerados os mais poderosos guerreiros dos Tiste Andii.

É com esse cenário que se inicia a história, e que história, uma tragédia bem ao estilo grego e Shakespeareano, cheio de tiradas filosóficas, cenas dramáticas, e uma infinidade de personagens, mas com um estilo mais enxuto do que na série Malazan, mais enxuto e digo até mais maduro.

Temas fodásicos são tratados, como a brutalidade e nihilismo da guerra, a criação de sentido para a vida, possessividade materna e relação de pai e filho, sentido da vida, etc. E até uma crítica ecológica, já que os Tiste Andii detonaram completamente com o meio-ambiente de seu mundo-dimensão.

Só não gostei do final meio gancho, apesar da história ter vários clímax e revelações bombásticas no final, mas o final é bem ganchão mesmo, eu até já esperava, a gente tem que aguentar isso em trilogia, final gancho é foda mas fazer o quê, não é mesmo?

Fica a recomendação, 4 estrelas em 5! ☺

Forge of Darkness: Epic Fantasy: Kharkanas Trilogy 1 (Kharkanas Trilogy Series) by Steven Erikson

Link: http://amzn.com/B007T8R3II


Originally published at tionitroblog.wordpress.com on May 31, 2015.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.