Hellbound Heart, de Clive Barker — O Sadismo Cruel que se Esconde nos Corações-Configurações-Desejos Humanos! |Rumo ao Scarlet Gospels! #resenha

Com o lançamento de The Scarlet Gospels, resolvi reler todas as obras do Clive Barker que tratam tanto do Pinhead e da mitologia de Hellraiser quanto do detetive Harry D’Amour, os dois protagonistas principais desse novo lançamento de um dos meus autores favoritos.

Minha lista de leitura segue a ordem cronológica das publicações, começando com Hellbound Heart (a primeira aparição dos Cenobitas), Last Illusion (o primeiro conto do detetive Harry D’Amour, publicado no Books of Blood #6). Em seguida vou reler The Great and Secret Show (que também conta com Harry D’Amour), e Everville (livro em que Harry D’Amour é um dos protagonistas) para finalmente ler o Scarlet Gospels. E, depois de mais de uma década sem ler Clive Barker, ver como considero sua escrita, agora já mais velho de guerra. E qual foi a minha surpresa, ao ler Hellbound Heart, em ver que o jovem Clive Barker realmente já era um fenômeno. Sua prosa é direta e muito cinematográfica, excelente construção de personagens, um ritmo perfeito e uma edição de cenas de fazer inveja. E com toques poéticos em alguns momentos. Muito bom mesmo. Hellbound Heart, para quem não conhece, já é considerado um clássico dos clássicos do horror contemporâneo, leitura obrigatória para qualquer um que curta o gênero, e, pasmem, até hoje nunca ganhou uma tradução para o Brasil. O livro, de onde foi baseado o filme Hellraiser (o primeiro, que junto com o segundo, são os únicos que prestam na série do cinema), conta a história de Frank, um pervertido amoral e sociopata com um apetite insaciável pelo prazer em todas as suas formas, que consegue a famosa Configuração dos Lamentos, a Caixa de Lemarchand, acreditando que ela lhe revelaria novas formas inconcebíveis de prazer, graças às entidades que seriam invocadas ao ser resolvido o enigma da caixa. Mas esse pacto faustiano dá muito, mas MUITO errado mesmo. A partir dessa premissa, Clive Barker constroi uma história de horror, que usa o sobrenatural e os fantásticos Cenobitas para explorar temas como o desejo, ciúme, egoísmo, a frustração feminina presa na tacanha sexualidade machista, e o lados mais obscuros e sádicos que os desejos humanos escondem em condições normais de temperatura e pressão. Curti demais a releitura, e descobri um subtexto de crítica feminista à cultura machista do início dos anos 80 que não tinha visto nas outras vezes que li essa noveleta. Recomendo, 5 estrelas em 5, um exemplo de como se conta uma história de terror que quebra os limites do gênero. Agora vamos para The Last Illusion (que também virou um filme, Lord of Illusion, que ficou bem mais ou menos, apesar da versão do diretor, que pretendo assistir novamente) até prestar! E vamos ler porque ler é doidimais!

The Hellbound Heart by Clive Barker Minha Nota: 5 of 5 stars Veja todas as minhas resenhas


Originally published at tionitroblog.wordpress.com on June 1, 2015.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.