‘Cases’ do Projeto “UMA MENSAGEM PRA VOCÊ”.

Sinopse de alguns relatos/depoimentos ao longo destes cinco anos de funcionamento. Os nomes originais de alguns participantes mantidos sob sigilo por questões éticas/pessoais e de privacidade..

1. Senhora de aproximadamente 40 anos, passa pelo painel e diz que precisa falar com o autor. Estaciona carro e com a chegada do psicólogo ela agradece profundamente a colocação das mensagens pois com isto o profissional teria salvo a vida dela. Questionada a explicar, diz que dias atrás saiu de casa, sem rumo e com objetivo claro de se suicidar. Ao passar pela rua principal, não sabe porque virou a direita e diante do painel de mensagens pegou uma. Leu e ficou sensibilizada. Saiu com o seu carro e estacionou-o logo no final da mesma rua e ficou em torno de uns 30 minutos, onde chorou profundamente e optou por enfrentar a vida novamente. Ao relatar insistiu em agradecer ao psicólogo, que contestava tal responsabilidade e explicando à aquela funcionária pública que na realidade ela mesma é quem era responsável pela escolha e merecia sim os méritos da opção feita.

2. Um senhor é ouvinte de um programa da Rádio Cidade das Águas, sob o comando de Rita Althemam. Tal ouvinte, uma vez por semana sai de sua cidade, Jaguariúna pega um ônibus comum e vem para Amparo exclusivamente para pegar a sua mensagem. Relata ao psicólogo que, embora pudesse pegar mensagens em outros lugares ou meios, é aqui junto ao Projeto “UMA MENSAGEM PRA VOCÊ” que ele sente-se fortalecido e faz um bem estar interior sem medidas, desde que a radialista comentou sobre as mensagens do projeto. Este senhor disse ficar feliz e fortalecido pela tal viagem, pois as duas ou três mensagens que colhia ‘caiam como luvas” em sua vida.

3. Uma senhora, aposentada, moradora em um dos prédios próximo ao local do projeto comentou que, em média, uma vez por semana coleta mensagens para ela e também para uma amiga. Mas para tal amiga ela coloca em um envelope e remete para Buenos Aires-Argentina. Questionada do porque enviar, se mensagens podem ser coletadas em outros meios como livros, revistas, internet, jornais etc; ela afirmou que a amiga na Argentina sabe que lá poderia pegar mensagens, mas ao tomar conhecimento deste projeto a amiga argentina pediu exclusividade e atenção para colher tais mensagens sem lê-las.

4. Um conhecido do psicólogo ao encontrá-lo no centro da cidade, pede atenção para fazer um comentário. Com aproximadamente três meses de funcionamento do projeto, em resumo disse que ao psicólogo que o mesmo era um ‘trouxa’ e pediu para explicar. Justificou tal rótulo dizendo que o brasileiro não tem costume de ler e que o profissional estava gastando tempo e dinheiro com tal ‘bobagem’. O profissional ouviu silenciosamente e o autor da colocação quis saber oque o profissional pensava a respeito. Ao ser colocado que não tinha oque responder e que optava por não responder tal colocação. O autor, embora insistisse e sem resposta, desistiu e saiu de cena. Passados em torno de dois meses, o autor procura novamente o psicólogo e diz: “Me desculpe aquela colocação. Eu estava enganado. Sei de muitas pessoas que passam em sua rua só para pegarem mensagens e eu mesmo sou uma destas pessoas. Me desculpe”

5. Sábados de manhã as filhas menores de um senhor ficam, logo cedo, cobrando do pai para saírem de carro, para pegarem mensagens. As menores, em torno de 10/12 anos têm como ritual ao chegarem próximo ao painel, cada uma pegar a sua mensagem, sem olhar exatamente qual mensagem será retirada. Após tal coleta trocam opiniões e com o pai surge um bate-papo sobre as mensagens escolhidas. Em casa elas colam todas as mensagens escolhidas em um caderno de escola. Este ritual já faz parte da rotina de final de semana da família gerando momentos proativos que são compartilhados com todos, conforme relato do pai.

6. Uma senhora, funcionária de uma loja no centro da cidade, ao passar pelo painel coleta a sua mensagem e também leva em torno de 5/7 destas para suas colegas de trabalho. Tal rotina que a mesma senhora chamou de ‘terapêutica’ gera sensações de bem estar, reflexões e virou um costume saudável nas relações entre amigas-colegas de trabalho.

7. Garota em torno de seus 25 anos passando pelo painel do Projeto “UMA MENSAGEM PRA VOCÊ” retira a sua mensagem e algumas a mais para levar para algumas colegas na confecção onde trabalha. Comenta que tal atitude faz o maior sucesso entre as amigas a ponto de gerar um procedimento especial por iniciativa do autor do projeto. A cada uma ou duas semanas a trabalhadora que se manifestou, hoje tem a disponibilidade de levar para dentro da empresa, conforme autorização do RH da mesma, um dispositivo que oferece centenas de mensagens ás trabalhadoras desta empresa. Todos os dias, ao baterem o ponto cada funcionária tem a possibilidade de escolher a sua mensagem sem qualquer obstáculo e assim fazer a sua reflexão.

8. Diversos ‘mensageiros’ (coletores de mensagens) ao coletarem as suas frases e/ou pensamentos fazem comentários similares á: “caiu como uma luva”; “foi escrito para mim”; “cada mensagem é um estímulo”; “isso é obra divina”; “serviu certinho pra minha vida”; “não fico sem mensagens quando passo aqui”; “este é um momento mágico”; “agradeço a tua iniciativa, louvável”;

9. Duas jovens ‘teens’ coletam mensagens semanalmente e comentam que estão colecionando as mesmas, colando em seus cadernos de escola. Uma delas comenta que nenhuma mensagem deixou de ser aproveitada. ”É como se fosse escrita para mim”, disse uma delas. Também comentaram que na escola ao mostrarem os cadernos às colegas, estas pediram para que pegassem mensagens para levar na classe.

10. Uma garota, em torno de seus 13 anos, coleta mensagens semanalmente e está montando um mural na parede de seu quarto, somente com as mensagens escolhidas. Comentou que este mural já ficou pequeno e teve que mudar de tamanho já por duas vezes. Disse que adora pegar as mensagens e que as amigas curtem o seu painel no quarto com comentários sobre os pensamentos dos autores inseridos no projeto.

11. Um Diretor de uma instituição hospitalar da cidade, relatou que ao passar pelo painel das mensagens, escolheu 5 ou 6 delas e foi rumo a uma reunião com seus parceiros para discutirem temáticas pertinentes às melhorias e supostos problemas organizacionais. Dias após tal reunião relata a importância e coincidência das mensagens em relação aos assuntos discutidos e o quanto foi válida tal atitude, ao compartilhar e discutir com seus dirigentes os significados de cada pensamento colhido no painel do Projeto “UMA MENSAGEM PRA VOCÊ”.

12. Um participante das páginas fo Facebook, de forma surpreendente e sem fundamentação real alguma, acusa o Projeto de estar gerando problemas de trânsito na rua onde é realizado, e mais, acusa também de forma irresponsável o profissional autor do projeto de estar ‘adulando’ menores com mensagens. Como resposta o autor do Projeto “UMA MENSAGEM PRA VOCÊ” colocou em todas as páginas do Facebook resposta contrariando totalmente tais acusações, considerando-as absurdas e irresponsáveis, sugerindo ao mesmo encaminhar as supostas e indevidas acusações ao Ministério Público, Prefeitura Municipal, Conselho Tutelar e ainda solicitando ainda a retratação do acusador. Nada foi feito pelo autor neste sentido, tendo somente chegada uma informação ao meu conhecimento, através de terceiros, de que o autor de tais acusações indevidas foi proibido judicialmente de se apresentar no Facebook.

13. A professora de uma escola pública relata que colhe mensagens uma vez por semana e leva para discussão com alunos de uma classe, em especial, que considera ‘problemática’. Citou que tal oportunidade tem feito com que as relações ‘professor-aluno’ e ‘aluno-aluno’, tenham se tornado mais compreensiva, com mais diálogo e parecendo gerar um clima legal que outrora não havia na sala de aula.

14. Uma paciente da Terceira Idade, de uma Unidade de Saúde, ás sexta-feiras pega várias mensagens e leva para distribuir aos demais pacientes da citada instituição. Sente que os pacientes ficam mais receptivos e com melhor ‘astral’ pois alguns comentam suas mensagens em relação às mensagens do outro; on invés de ficarem falando sobre doenças, demoras, problemas, etc.

15. Funcionária de uma loja tipo “1,99” quase todas as manhãs ao seguir para o trabalho, muda seu itinerário para poder pegar mensagens que leva para suas colegas de trabalho. Diz que sente falta das mesmas quando chove ou não pode fazer o trajeto da localização do painel.

16. Motorista de caminhão de transporte de móveis da cidade de Nova Odessa/SP ao passar pelo painel, pede licença para escolher a mensagem e diz: “Quando recebo a ordem de serviço para entregas em Amparo não dá outra já venho pensando. Faço questão de pegar a minha mensagem, este é um momento mágico” .

17. Um condutor comum relatou que ao sair do trabalho mudou seu trajeto para passar a pegar mensagens e que tem que ser conforme o ritual de não olhar para as mensagens e completou: “Uma é para mim e outra para minha esposa, senão tem reclamação em casa”.

18. Uma senhora da Terceira Idade ao passar com seu automóvel disse: “Venho buscar minha marmitex no supermercado e pego a minha mensagem que é a sobremesa. Não deixe de colocar o cartaz com mensagens por favor!”

19. Alguns jovens com skate, em torno de cinco deles, num sábado a tarde, vindo pela rua passam pelo painel e cada um pega uma mensagem. Todos lêem quase que ao mesmo tempo em voz alta, enquanto caminham. De repente um deles, virando pra trás, se volta para o psicólogo e diz: “Valeu meu” Está é sensacional. Curto Lao Tsé. Valeu irmão!”

20. Um promotor do Fórum de Justiça de Amparo, em sua coluna semanal num jornal da cidade, destacou a importância e o valor do citado projeto, sendo este mesmo jurista um costumeiro ‘mensageiro’ (coletor de mensagens).

21. Um empresário de destaque na cidade, assíduo ‘mensageiro’ do Projeto “UMA MENSAGEM PRA VOCÊ” diante do mesmo, procura pelo autor e como retribuição ao mesmo oferece um pacote com milhares de mensagens recortadas de um jornal de destaque nacional. Passada uma semana ou algo assim, mais outro pacote com milhares de mensagens novamente são doadas ao autor do projeto que se sentiu gratificado pelo feedback.

22. Num sábado, início da noite, uma jovem trabalhadora de bicicleta, bate a porta do autor do projeto e pede por favor se o mesmo poderia lhe dar uma mensagem. A jovem disse que sempre pega mensagens e naquele sábado saiu mais tarde da casa onde trabalha e queria uma mensagem pois estava “precisando”. O autor atendeu o pedido, ela escolheu quatro mensagens. Ao ler uma delas, antes de sair disse: “Era isto que eu precisava ouvir. Obrigada Tito”.

23. Uma professora da cidade de Campos-RJ solicita a autorização para implantar o referido projeto numa escola pública. Autorizada e assessorada pelo autor, escolhe um período que seria o ‘mais problemático’: o noturno, onde jovens da periferia estudam. Para não ter que enfrentar a burocracia do estado, ficou combinado que não seria divulgado o nome da escola, pois a direção não seria consultada. Simplesmente seria implantado como uma inciativa da referida professora. De imediato o evento virou ‘moda’ entre os adolescentes, a ponto de reclamarem da falta das mensagens quando o painel estava vazio ou pela demora na reposição das mesmas. Virou ‘moda’ também pegarem mensagens e comentarem entre si, pois as mesmas eram diferentes.Tal iniciativa funcionou durante o ano de 2012.

24. Participantes do Facebook, onde o autor (Tito Psicólogo), tem uma página para divulgação, entre outras matérias as notícias do referido projeto, tais participantes registraram centenas de declarações de elogios, valorização positiva, credibilidade e valorização do mesmo desde a implantação do mesmo em dez/2010.

25. Um cientista social de Belo Horizonte, Plinio da Franca, em 2011, toma a inciativa de ligar para o autor do projeto e fica em torno de uma hora e meia, no telefone, expondo suas percepções e opiniões a respeito do referido projeto que tomou conhecimento através da internet. Enalteceu a inciativa, expressou claros elogios pela geração de um evento que realça alguns paradigmas, como: simplicidade, criatividade e interatividade. Prof. Plinio faz alusões quanto aos prováveis impactos do mesmo se implantado em cenários como escolas, empresas, praças públicas, presídios, campos de futebol etc. Com o respaldo de sua comprovada experiência de alto valor profissional dá um testemunho contundente de credibilidade ao Projeto “UMA MENSAGEM PRA VOCÊ”

26. Sob a orientação do Prof. Plinio da Franca o projeto passa a ser focado pelo autor e pelo citado cientista social como uma Pesquisa de Campo no plano psico-social. Durante dois anos e meio, desta pesquisa socio-antropológica, a mesma foi embasada por fundamentos, paradigmas, princípios teóricos, logística, feedbacks e ações correlatas para tornar-se válido quanto a sua credibilidade, objetivos, funcionalidade, aplicabilidade e resultados. Tal inciativa é mais um registro da amplitude geral de um projeto que é inovador, inédito em todo mundo e que recebeu reconhecimento e registro no Ministério da Cultura-EDA

27. Em Brasília, uma jornalista ao ouvir, silenciosa e atentamente o relato do Prof. Plinio da Franca, sobre o Projeto “UMA MENSAGEM PRA VOCÊ”, num determinado momento interrompe o mesmo e diz: “Estou arrepiada diante de tudo que ouvi. Jamais imaginei algo tão profundo e tão simples. Incrível o impacto e amplitude deste projeto.!”

28. Jornais da cidade de Amparo/SP, Programas de TV da região, Rádios do município, site/fóruns aos quais o autor tem vínculos, a Fundação São Pedro, a Associação Comercial de Amparo, Rádio Bandeirantes de São Paulo (programa Você é Curioso?) entre outros meios de comunicação fizeram inúmeros registros realçando a inovação, impacto, criatividade, simplicidade e feedbacks do projeto “UMA MENSAGEM PRA VOCÊ” ao longo de seus quase quatro anos de funcionamento.

Tito-Francisco Henrique de Oliveira psicólogo organizacional

CRP 05–1631–3 email fhoo@uol.com.br

Seguem alguns registros do PROJETO “UMA MENSAGEM PARA VOCÊ” na mídia, sites e outros canais de comunicação:

Jornal A Tribuna http://www.at.com.br

SpaceBlog http://coletandohistorias.spaceblog.com.br

Fundação São Pedro http://www.fundacaosaopedro.org.br/ Documentário 2011

Site Amparonews http://amparonews.blogspot.com/2011/05/

A C E A http://www.aceamparo.com.br/conteudo.php?secao=produtos-servicos&pagina=noticia-acea&idNoticia=238

Conselho Federal de Psicologia http://mulher.pol.org.br/premio (registro)

Rádio Cultura Municipal FM — Amparo SP: documentário registrado em 2012

SRTV — Programa “Cozinhando o Galo” — reportagem especial 2013

Troféu da Paz 2014 Promoção Divaldo Franco & Ypê

Rádio Bandeirantes SP — Programa “Você é curioso?” 2014

Ministério da Cultura registro em 10 set 2013, sob o nº 614.517

Direitos Autorais e de Uso Reservados

Ministério da Cultura registra o Projeto “UMA MENSAGEM PRA VOCÊ 10 set 2013, sob o nº 614.517

Like what you read? Give Tito Psicólogo a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.