PMDB perde R$ 1,3 Bilhão nas Escolas Municipais do Rio de Janeiro

O valor, desperdiçado no acumulado de 8 anos, é quase o triplo do que se perderia caso a taxa de aprovação das Escolas Municipais se mantivesse em patamares adequados.

Um levantamento feito pelo candidato a vereador Leandro Lyra (NOVO) revela que as taxas de reprovação e abandono das Escolas Municipais — que chegam a 20% em algumas séries — custam caro ao Rio. Se o Município estivesse dentro dos parâmetros aceitáveis, reprovações custariam perto de R$ 518 milhões.

“Um pai que matricula o filho numa escola particular e, ao final do ano, vê o filho reprovado, sabe que, além do abalo emocional que passará, aquele tropeço pesa em seu bolso. Não é diferente nas escolas públicas”, explica o candidato, “O governo municipal recebe um valor para cada aluno matriculado em suas escolas e, se este for reprovado ou abandonar a formação, o Município terá perdido o investimento”.

O candidato ainda reforça: “não defendo a aprovação automática desastrosa do Governo César Maia, mas este é claramente um grave problema do Rio e devemos estudar formas de trazer a taxa de aprovação para patamares mais aceitáveis, tanto em nível nacional como internacional. O que não pode é acharmos que o problema é inerente ao estudante carioca.”

Custo Aluno/Ano mínimo divulgado pelo FundEB *Anos que as taxas de aprovação e reprovação não constam no censo escolar (O número de alunos reprovados foi estimado como a média dos demais anos)

O levantamento fez uma associação simples, quanto a Prefeitura recebeu por cada aluno matriculado, multiplicando esse valor pelo número de alunos que não foram aprovados durante o ciclo fundamental. Ao final, somados os anos de administração de Eduardo Paes, chega-se a cifras gigantescas.

Comparação do gasto do Município do Rio de Janeiro com os gastos que teria caso possuísse as taxas aprovação de Goiânia e São Paulo

O mais impressionante é que este número está bastante além do que se esperaria dos gastos se o Rio mantivesse taxa de aprovação próxima as de São Paulo (89,0%) ou Goiânia (96,3%). No primeiro caso, a Prefeitura economizaria R$ 163 milhões e, no segundo, quase R$ 1 Bilhão.

Pode-se concordar ou não com a forma com o Município tem sido gerido, porém um fato é que, qualquer que seja o candidato que saia vitorioso do pleito deste ano, enfrentará desafios significativos para reorganizar o caos que o sistema educacional carioca enfrenta. Eduardo Paes se orgulha de ter acabado com a chamada aprovação automática do governo anterior, mas, inegavelmente, participou do governo César Maia e entregará ao seu sucessor uma realidade pouco diferente da que recebeu.

Os dados do Censo podem ser consultados aqui
Custo por aluno podem ser consultados aqui