Os vilões dos filmes de Super Heróis

Sou o que chamam, por definição, um cinéfilo. Não costumo gostar muito dessa palavra, talvez por que geralmente a associo (em minha mente) a uma doença, contudo definições se fazem necessárias para compreender o porquê alguém se interessa em demasiado em algo sem nenhum motivo aparente. Talvez isso conforte as pessoas quando você demonstra uma paixão por algo que não seja o seu ganha pão.

E por qual motivo estou falando em definições? Bem, isso vai ser amarrado durante a evolução desse texto, espero que tão bem quanto em um roteiro ganhador de Oscar.

Atualmente as salas de cinema são invadidas por uma quantidade imensa de películas de super heróis, Marvel e DC vem trabalhando arduamente para trazer a experiência que muitos tem há anos lendo os gibis para as telas de cinema. Muitas dessas tentativas tem sido frutíferas, agradáveis, recompensadoras e as vezes surpresas maravilhosas, como é o caso do Homem-Formiga, na minha opinião, filme o qual não esperava que fosse me divertir tanto quanto me divertiu. Mas infelizmente, e como de se esperar, nem todas as tentativas são boas.

E é nesse momento que entram os vilões desses filmes, os quais nem se quer estão na tela ou são atores e personagens. Os verdadeiros vilões desses filmes são os espectadores e os fãs incondicionais.

Existe um grande problema na nossa cultura o de acreditar que críticos são pessoas infelizes, miseráveis e amarguradas, que trabalham como críticos apenas porque foram incapazes de serem bem sucedidas no que quer que elas critiquem.

Bom esse é o primeiro erro, pois se formos ver a definição literal de crítico é basicamente essa: Que faz análise de; analítico. Se existem pessoas amarguradas e infelizes nessa profissão, não tenho dúvida, mas existem pessoas assim em todas as profissões. O trabalho de um crítico (que ama o que faz) nada mais é do que aplicar anos de estudo e dedicação para uma área de interesse e analisar minuciosamente se fazendo valer da sua sabedoria.

Agora, só porque está escrito no papel ou na internet você deve levar aquilo como uma verdade absoluta para sua vida? Não. Então você deve xingar e menosprezar por que o que foi escrito vai contra suas opiniões? Não também. O crítico apenas te dá o parecer dele sobre algo, um parecer técnico de alguém que estudou a fundo aquilo que está falando e a partir desse parecer você tira suas próprias conclusões.

Essa análise técnica com embasamento é extremamente necessária e bem vinda ao cinema, pois enquanto ela existir se cobrará uma maior qualidade do filme que exibido a todos nós no cinema.

E é nesse ponto que retorno aos verdadeiros vilões dos filmes de super heróis, como já havia dito, os espectadores e os fãs de carteirinha. Desde dos dois últimos fracassos cinematográficos que a DC e a Warner nos proporcionaram, os fãs começaram uma verdadeira caça as bruxas contra os portais de crítica de cinema, pelo simples fato de que eles falaram a verdade.

Não é pelo fato que seu super herói predileto está na tela, ou porque as cenas de ação são de tirar o fôlego ou até mesmo porque foi a DC ou Marvel que fez o filme que somos obrigados a gostar. Nesse momento temos que ter um pouco mais de senso crítico e analisar as coisas como elas são, nada te impede de mesmo após descobrir que o filme é ruim de você gostar dele.

O problema de enaltecer algo ruim é que futuramente a mesma baixa qualidade desses filmes serão aplicadas aos próximos e futuramente teremos que nos contentar com cada vez menos. Pode ter certeza, que não existe coisa mais brochante que assistir um filme feito nas coxas, porque sabem que vai existir público para consumir isso (Sim Adam Sandler, estou olhando para você).

Como um bom cinéfilo e um amante de quadrinhos tenho um desejo imenso que as representações desses heróis na telona sejam algo memoráveis, para que durem anos e anos e por esse motivo sou um grande crítico das “framboesas de ouro” que foram lançadas.

Batman vs Superman, Esquadrão Suicida, Quarteto Fantástico, Thor: O mundo sombrio, entre outros representam o que tem de pior nesse universo cinematográfico e infelizmente muitos de seus críticos são atacados sem dó por uma horda de fãs sem o menor senso crítico.

Buracos no roteiro, diálogos horríveis, atuações pífias e tudo mais completamente ignorado por um amor cego a um personagem fictício, por pessoas incapazes de ver que os que criticam simplesmente querem que esse amor seja retribuído na tela com algo de qualidade.

Eu não duvido da capacidade do Zack Snyer e o David Ayer como diretores, ambos já fizeram filmes fantásticos e alguns inclusive baseado em quadrinhos como Watchmen e 300. Mas temos a necessidade de pontuar as suas falhas para que eles sejam capazes de fazer mais filmes fantásticos.

Batman vs Superman é um filme visivelmente apressado, informações jogadas no ar de forma desconexa, conclusões e desfechos precipitados, personagens mal aproveitados, um Apocalipse que mais parece um Orc rejeitado pelo Peter Jackson e zilhões de referências aos gibi vomitadas na tela para agradar os fãs, os quais infelizmente se deram por contente.

Enquanto isso, os executivos dos grandes estúdios só são capazes de olhar para bilheteria, a qual jamais vai ser capaz de realmente medir a qualidade do filme, pois já vi diversos filmes fracassarem na bilheteria (por motivos diferentes) e serem filmes realmente espetaculares, como é o caso do reboot do Dreed com o Karl Urban.

Em conclusão, não se deixe levar por um amor cego, pare de financiar filmes que são medíocres, pois esses geram mais e mais filmes medíocres. Seja mais crítico, mais exigentes e todos teremos a oportunidade compartilhar esse amor que você tem por esse ou aquele super herói.