i want to be alone (but not really)

detesto fazer quiz de personalidade porque eu quase nunca sei responder se sou otimista ou pessimista. se eu sou uma pessoa de quem as outras pessoas gostam ou não. eu não sei quase nada sobre a minha personalidade. eu sei que tem muito medo, muita insegurança e muita ansiedade por trás de quase tudo que eu faço, digo, sinto… eu detesto que meus amigos da faculdade, com destaque para um deles, grudem em mim como se minha amizade fosse monopólio deles, mas eu fico incomodada se eu não me sinto tão enturmada quanto o resto deles. às vezes eu paro e penso nos meus colegas de faculdade e penso sobre como eu sou tão diferente de todos eles em tanto sentidos e como eu já sei que vai ser quase impossível achar alguém que me faça pensar que realmente vale a pena cultivar uma amizade ali. só que aí eu olho para alguns deles e penso "até que não são tão ruins, vai, mary a., deixa de ser arrogante e prepotente só um pouquinho.." eu tento. às vezes eu juro que tento. mas é difícil porque eu não sei nem o que eu procuro em uma amizade. já tive tantas decepções. relacionamentos em geral são uma incógnita para mim. não porque eu não saiba o que dizer às pessoas. eu sei sim. mas o problema talvez seja que eu diga demais. e cobre demais. e tenha raiva demais. e provoque demais. eu não sei quando parar mesmo. às vezes eu tenho vontade de ficar lokona e sair pegando geral na balada, mas na maioria das vezes o que eu gosto mesmo é de ficar em casa mazelando, pensando nos tubarões, nos meu livros (pensando, porque até pra ler às vezes é difícil. já conto 40 títulos na fila aqui) e em alguma pessoa genérica que passa por uma situação muito difícil e que me faz pensar na injustiça dos acasos. tem horas que eu quero aparecer. tem horas que eu só quero ficar na minha e fazer o que é meu. eu tenho essa mania esquisita de pegar abuso, abusinho mesmo, nojinho de quem se mostra muito interessado por mim. detesto esse grude ao qual eu não sei corresponder sem me sentir extremamente ridícula. eu só me interessei genuinamente por quem nunca me viu da maneira que eu queria que eles me vissem. eu sei que talvez esse seja um sinal de baixa auto-estima, mas é difícil perceber quando ela não se apresenta da forma clássica. eu não sou pior do que ninguém… só mais esquisita. bem mais esquisita. estranha. complicada. não pode ser como as outras meninas da sua idade, né? get outta my head! alguém não se deu ao trabalho de entrar no babynames.com e estudar o significado do nome antes de escolher ele pra mim…

I can tell you what I like and what I dislike… but I cannot tell you who I am.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated bela trouxa’s story.