Croniqueta para Wega, minha mãe

De onde meu avô Leoncio tirou esse nome? E ainda por cima com W?

Leoncio não era um intelectual . Mas embora morasse nas lonjuras do Pantanal era respeitado em toda a região por suas sabedorias.

Ele pertenceu ao grupo de engenheiros que levou os trilhos da Noroeste do Brasil, a velha NOB, até Porto Esperança, ali junto a Corumbá.

Junto quero dizer, nas distancias medidas em léguas, a uma noite de viagem pelo Rio Paraguai no Fernandes Vieira, o orgulhoso vapor da Viação Bacia do Prata.

O engenheiro Leoncio Nery já era então fazendeiro, casado com Otilia, filha de Joaquim Eugênio, mais conhecido como Nheco, o homem que desbravara aqueles campos, fundador de várias fazendas.*

Teria Leoncio Nery se inpirado nos céus na escolha do nome da filha. O nome de uma estrela, Vega? Improvável.

Apesar de ser a quinta estrela mais brilhante do céu, Vega, a estrela, não aparece nem mesmo nas noites mais frias, quando o céu pantaneiro fica pontilhado de luzinhas piscando. Pela simples razão que só é vista no hemisfério norte.

Provável é que tenha lido sobre a estrela. E talvez soubesse que todo o Universo está em movimento na direção da Lira, a constelação de Vega.

Mas Wega só era Wega durante as férias. Leoncio Nery era um homem de idéias avançadas. Tinha então duas filhas, Leda e Wega. Nenhum menino ainda.

O que não significava Leda e Wega não tivessem de estudar. E e no melhor colégio da época, o Sion.

Tento imaginar o que aquelas duas menininhas, uma de cinco aninhos, outra com sete, pensavam sobre uma viagem até São Paulo, o significado da palavra “internato”, enfim, aquela montanha de novidades que desabava sobre elas.

Se Wega sabia que só voltaria para as sua bonecas, feitas de osso de boi e chumaços recolhidos na sala de costura, dali a três ou quatro meses. E o que ela pensou quando as freiras do Sion, Mère Naise à frente, vieram lhe explicar que seu nome não era mais Wega.

Não havia nenhuma santa com esse nome. Ela então passou a ser chamada de Maria, a mãe de Jesus. Ou Mariazinha, a mais jovem aluninha jamais matriculada no internato do Sion.

Foi como Mariazinha que ela rabiscou seu nome no primeiro bilhete à mãe e ao pai.

Ela só voltaria a ser Wega Nery aos seis anos, quando Mère Naise permitiu que ela mesma escrevesse aos pais. Na cartinha, ela conta as últimas novidades.

Entre elas diz: “… eu já estou velha … já caiu um dente”. E assina Wega Nery…

* Nheco Gomes da Silva, fundador da Nhecolândia, uma das primeiras áreas habitadas do Pantanal.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.