Eu tô numa daquelas filas que não terminam nunca. Aquelas filas que eu sempre te contava sobre ou te mandava mensagem durante só pra passar o tempo. Cadê tu, galego? O que é que tá acontecendo com a gente?

Ontem, depois do que pareceu uma eternidade, você me mandou um “olá", um olá que normalmente puxava uma conversa que durava horas. Ontem foi bem rápido e parecíamos dois estranhos. Quando a coisa começou a ficar séria você foi se calando e aí eu te perdi. Eu sempre sei quando te perco, é engraçado até.

Espero que você volte logo, espero que a gente volte logo. Tô com saudade dos teus conselhos tortos e das tuas chatices. Tô com saudade da amizade da gente. Boa sorte, galego.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.