Dopado

Ilustração Lora Zombie

Dopado, assim como Drummond, ele conseguia carregar o mundo nas costas

Porque, dopado, ele consegue enxergar a vida sem mistificações

E a vida é feia demais para ser encarada de frente

Dopado, ele é cheio de sorrisos e amigos

Porque a esperança é um dia sermos mais úteis

Dopado, ele acredita até em vencer

É o corajoso mais covarde.

Mas covarde mesmo é quem veste a máscara dos pudores

Dopado, é fácil percebe esse mundo de mentiras

Seus falsos empregos, suas falsas namoradas, seus falsos amigos

Sóbrio, o mundo pesa demais. Melhor mesmo se manter dopado

Dopado, ele consegue fugir, mesmo a cabeça pesando e o corpo inteiro gritando

Ele se permite.

O sentimento transborda: fraco na execução, mas correto no pensamento

E antes de voltar para casa, ele quer alguém para abraçar