Como comprei meu primeiro Bitcoin

Uma saga de 4 anos até comprar um Bitcoin

Introdução

É impressionante a popularidade e o destaque que o Bitcoin vem conquistado esse ano. Muitos amigos e conhecidos me perguntam como comecei a investir em criptomoedas e como tomei a decisão de começar. O que poucos sabem é que meu processo com o Bitcoin levou mais de 4 anos para se consolidar.

"In my experience, there’s no such thing as luck" - Obi Wan Kenobi

2013 - Brinquedo de Nerd

Cotação de 03/2013: R$ 103,00

Posso dizer que prestei atenção no que era Bitcoin pela primeira vez quando estava morando em Mountain View na Califórnia (o coração do famoso Vale do Silício) em meados de 2013. Porém, entre tantas tecnologias que estavam emergindo nessa época confesso que o Bitcoin não era das mais interessantes. Durante o tempo que morei no Vale do Silício eu estava mais interessado em estudar sobre hardware, impressão 3D, Realidade Virtual, Augmented Reality, Cloud Computing, Autonomous Technologies e outras coisas. Nem as pessoas do mercado financeiro se interessavam pela nova moeda, era considerado um "brinquedo" de "nerds" que servia apenas para comprar pizza (que tal 2 pizzas por R$ 622 milhões?). Por isso não dei muito valor, li sobre o assunto, achei interessante e segui com minha vida. Oportunidade perdida #1!

2014 - Olha a Bolha aí!

Cotação de 12/2014: R$ 880,00

No ano seguinte, o assunto Bitcoin voltou a minha atenção quando precisei fazer uma transferência entre a sede da UP Global (agora Techstars) nos EUA e a filial que eu dirijo aqui no Brasil. Já havíamos feito essa operação utilizando tanto o Banco do Brasil quanto o Bradesco, e apesar das altas taxas, o maior problema ainda era a burocracia, com a quantidade de documentos necessários, gerentes que só atrapalhavam e a longa demora para a transferência ocorrer. Uma das vezes o dinheiro levou mais de 20 dias para ser transferido. Uma experiência frustrante!

Foi então que tive a ideia de pesquisar se seria possível e viável utilizar Bitcoin para agilizar o processo. Descobri que além de possível, seria mais econômico e muito mais rápido transferir usando Bitcoin do que pelo banco. Sendo assim sugeri a central, mas não consegui aprovação nem do jurídico e nem do financeiro para seguir em frente, e tive que voltar a utilizar os bancos. Mas foi uma boa experiência por que me deixou em alerta sobre o Bitcoin.

Em Dezembro de 2014 fui um dos organizadores do primeiro Startup Weekend Fintech do Brasil. Entre os mentores estava Safiri Felix, que era CEO da CoinBR (uma das primeiras empresas focada em Bitcoin no Brasil) e hoje é uma figura conhecida no meio de Bitcoin, Blockchain e Criptomoedas.

Fun fact: Nathalia Arcuri, do Me Poupe, uma das maiores Youtubers do Brasil foi convidada para ser reporter do #SWFintech, mas ficou tão empolgada que resolveu participar ao invés de documentar o evento. Sem dúvida isso aguçou seu espírito empreendedor que a ajudou a se tornar a sensação que é hoje! :)

Conversamos muito sobre o assunto, porém a moeda estava passando por um momento difícil (sim meu querido amigo, a bolha já estourou, mas vou falar mais sobre isso em outro post) e mais uma vez eu perdi a oportunidade de comprar alguns Bitcoins. Oportunidade perdida #2!

2015 - A moeda não-digital do ano! Vlw Dilmãe!

Cotação de 12/2015: R$ 1.795,16

Em 2015 eu investi na alta do dólar, e tive um resultado sensivelmente melhor do que se tivesse investido em Bitcoin. Neste ano o dólar valorizou 48% (eu consegui um retorno de 82%), enquanto isso o Bitcoin valorizou 35% (reajustado em relação ao câmbio). Pelo menos não perdi nenhuma oportunidade em 2015! Vlw Dilma!😜

Sendo assim, nada de interessante aconteceu na minha jornada do Bitcoin em 2015… Siga em frente.

2016 - O tempo é seu maior inimigo

Cotação de 03/2015: R$ 1.682,39

Fast forward para Março de 2016, tive a honra de ser o facilitador da segunda edição do Startup Weekend Fintech em São Paulo, que desta vez além de Safiri Felix, contava também com Helena Margarido (uma das maiores especialistas em assuntos jurídicos relacionados a criptomoedas no Brasil) no time de mentores.

Fun fact: O João Canhada, co-founder da Foxbit (maior exchange Bitcoin do país) foi um dos participantes do evento. Um ano depois a Foxbit se tornou a principal patrocinadora da 1ª edição do Techstars Startup Weekend Blockchain do Brasil.

Durante o #SWFintech conversei bastante sobre Bitcoin com essas três figuras ilustres e voltei a me interessar sobre o assunto.

Porém em Março de 2016 o Bitcoin estava amargando uma queda de -7,29% e já havia sofrido outra de -6,25% em janeiro, o que me deixou inseguro sobre investir na moeda (h̶o̶j̶e̶ ̶e̶m̶ ̶d̶i̶a̶ ̶s̶e̶ ̶o̶ ̶B̶i̶t̶c̶o̶i̶n̶ ̶c̶a̶i̶r̶ ̶e̶u̶ ̶v̶e̶n̶d̶o̶ ̶a̶t̶é̶ ̶u̶m̶ ̶r̶i̶m̶ ̶p̶r̶a̶ ̶c̶o̶m̶p̶r̶a̶r̶ ̶m̶a̶i̶s̶). Por esse motivo eu deixei mais uma oportunidade de lado. Oportunidade perdida #3!

Um pouco mais a frente, entre Outubro e Novembro, eu comecei a conversar com um amigo que comprava R$ 500 de Bitcoin todo mês (como se fosse uma parcela de consórcio ou financiamento), eu até pensei em fazer o mesmo, afinal no acumulado do ano o Bitcoin estava com 44% de rentabilidade. Foi então que eu FINALMENTE criei uma conta na Foxbit, mas calma aí… O r̶e̶t̶a̶r̶d̶a̶d̶o̶ cara aqui parou no meio do processo de validação do cadastro e não transferi nada para a exchange. Oportunidade perdida #4!

2017 - O lado luminoso da força!

Cotação de 12/2017: R$ 68.804,99

Alguns meses depois, já em 2017, conversando com o mesmo amigo, ele me relata que os Bitcoins dele haviam dobrado de valor nos últimos meses. Ainda assim, eu não acreditava na moeda nem conhecia a tecnologia tão a fundo para me sentir seguro em investir.

Porém eu sempre fui bom de finanças pessoais e sabia que era um investimento interessante, embora o alto risco envolvido, e eu estava decidido a entender melhor e encontrar uma forma de começar a investir em Bitcoin. Eis que eu começo a escutar a seguinte frase:

Invista apenas aquilo que esteja disposto a perder!

Quem me conhece sabe que eu não estou disposto a perder nem R$1 sequer. Então pensei: como conseguir algum dinheiro que eu não tenho ainda e que não vai me fazer tanta falta se eu perder?

Passei um tempo pensando nisso e lembrei que em novembro de 2016 comprei 6 Chromecast durante a Black Friday para presentear amigos e parentes. Dei 1 de presente para meu pai e coloquei o resto a venda. Comprei cada Chromecast a US$30 (~R$100) e coloquei a venda na OLX por R$ 300 (era lançamento na época e as lojas estavam vendendo a R$ 380). Vendi os 5 e acumulei um lucro de R$ 1.000. Descobri outras coisas que eu tinha mas não usava mais, como celular velho, iPad, outras coisas. Vendi tudo e no final acumulei quase R$ 6 mil reais.

OBS: Todas as coisas que vendi eram passivos e eu não utilizava mais com frequência (algumas coisas faziam meses ou anos que eu não usava).

Eis que finalmente, quatro anos depois do começo dessa jornada:

O primeiro Bitcoin foi adquirido a exatos R$ 6.615,07. Repare que 4 horas após a compra já havia rendido mais de 10% e o "mão de alface" aqui vendeu uma boa parte… Só pra comprar de volta 4 dias depois a R$ 9.000!

Conclusão

Não vou entrar em detalhes sobre meus investimentos e minhas finanças, mas posso afirmar que desde o dia 17 de Maio eu cometi VÁRIOS erros com o Bitcoin e outras criptomoedas que tentei negociar. Mas também aprendi bastante e hoje me sinto muito seguro em possuir Bitcoin. Talvez mais seguro do que possuir qualquer outro ativo financeiro.

Tenho estudado muito sobre Blockchain, criptomoedas, smart contracts, economia, finanças e tudo que está envolvido com o assunto, isso me ajuda a entender não somente os aspectos superficiais sobre essa nova revolução, mas sua fundamentação e base.

Vou escrever alguns outros post respondendo perguntas como: Bitcoin é uma bolha? É perigoso comprar Bitcoin? Está tarde demais? Como compro? Aonde compro? Não é ilegal? É pirâmide? Bitcoin tem lastro? É hype ou bullshit? O que é Blockchain? etc!

Espero ter ajudado… Se sim, bate palma aê!

PS: Não me considero especialista em Bitcoin, Blockchain, Finanças ou Investimentos. Apenas compartilho fatos e aprendizados que foram acumulados com experiência prática nos últimos anos. Não estou recomendando nenhum investimento. Se investir seu dinheiro, faça por sua própria conta e risco e saiba que o Bitcoin é um ativo financeiro altamente volátil e que você pode ter prejuízos.