Soneto dos Casais Recentes

E o brilho solar permanece maciamente azul, 
conforme nossos olhares
que, tão repletos de apesares, 
repousam agridocemente sobre céu nu.

Esmaece o laço do luar algum, 
conforme o solar e as nuvens dos ares
que, tão poentes às estrelas milhares, 
surgem no céu como um mocinho no saloon.

E pela maré flutuam os pecados que relembro, 
nadando com todos os peixes do oceano, 
em algum lugar incógnito por aí.

No sol brilhante de quase dezembro, 
dança pela brisa, estonteado e leviano, 
aquele parangolé de maresia do Havaí.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Vítor Melo Medeiros’s story.