Ciclo I

Não foi amor desde o começo, você era apenas minha melhor amiga, mas já era unilateral. Eu era apenas mais alguém que você conversava, vários quilômetros distantes.

Eu insisti, eu nunca vou saber dizer o motivo, eu queria fazer parte daquela história, já desde aquele momento. Você se tornou uma irmã, alguém que eu falava todos os dias, acumulava ligações e SMS, eu conhecia a sua rotina e você a minha e estava tudo bem. Você já tinha se tornado o melhor de mim.

Eu lembro do dia em que descobri que estava apaixonada por você, mas eu nunca soube dizer quando ou como aconteceu. Um dia eu apenas percebi, que estava sonhando demais com a nossa história. Já neste dia eu sofri, eu jamais saberia que sentiria aquela dor por tanto tempo. Eu jamais imaginei que sentiria até hoje.

No dia em que eu disse que te amava, eu me despedi pra sempre, nós nos despedimos pra sempre várias vezes desde então. Eu sempre volto, você sempre está por mim, eu nunca sei o motivo (costumo deduzir que seu coração é bom demais).

Você me disse que nossa amizade não iria acabar por conta de um amor não correspondido, e eu perdi a conta, desde então, de quanta vezes você disse que poderíamos ficar juntas, o que nunca aconteceu.

Eu sempre acreditei que a culpa fosse minha por não poder cortar a distância entre nós, ou por poder e ter muito medo de fazer.

E só me restou assistir, todos os seus romances, e escutar sobre os seus puros sentimentos. Então vinham as brigas, dias ou meses sem uma palavra se quer. Eu te disse coisas horríveis, eu nunca acreditei nelas. Longe de você todo o meu futuro parecia não existir.

Eu me lembro da nossa primeira discussão, antecedia um feriado, eu estava no trabalho e chorei até que fosse mandada para casa. Você jurava que eu era louca por ter ciúmes de uma amiga, sua futura namorada. Eu já sabia, mesmo assim não doeu menos quando aconteceu. Não doeu menos com as pessoas que vieram depois, não dói menos agora.

Meus amigos me fizeram acreditar que você não se importava comigo, você me odiou por contar nossa história para eles. Eu sempre quis que você entendesse que no meu sofrimento, foram eles que me fizeram suportar tudo o que me jogava em cima de uma cama, aos prantos. E eu sempre quis que eles entendessem o quão maravilhosa e especial você é, por mais que nossa história seja difícil. Hoje eu me pergunto o que será que seus amigos pensam de mim.

Minha psicóloga escuta muito sobre você, demorou pra me fazer entender que eu não tinha todos os problemas que eu mesma encontrava por semana. No fundo eu só queria uma justificativa, eu precisava responder como eu podia ser tão insuficiente pra você. Acabei aqui escrevendo, já que ela acha que é a melhor forma de refletir sobre os meus próprios sentimentos. Por vezes eu acho que nosso relacionamento vai ser sempre a parte mais difícil da minha terapia.

Eu cresci muito com você, eu fui pra lugares que nunca imaginei na vida, pra superar a dor dentro de mim, pra provar que nossa amizade poderia superar qualquer coisa, pra me tornar alguém melhor, até mesmo por esperança. Se hoje eu tenho orgulho de quem sou, você faz mais parte disso do que jamais vai saber.

É possível que 90% dos meus artistas e músicas favoritas sejam por sua causa, e tudo que eu tentei aprender sobre arte foi pra te impressionar, os meus filmes favoritos não seriam favoritos se não me lembrassem você ou a nossa história. Eu me acostumei com a beleza de tudo o que me faria chorar.

Por várias vezes eu bebi além da conta, fumei por provocação, marquei o meu corpo, troquei de estilo, namorei todo mundo que eu não queria e não devia, e tive de correr pra encontrar quem eu realmente era depois de todo mundo que eu tentei ser por você ou para esquecer você. Eu não esqueci.

E é por isso que no final de cada tentativa eu me lembro e não me arrependo da minha velha e inocente promessa de adolescente.

Não importa o que aconteça na minha vida eu sempre vou amar você, e vou te esperar por todas as vidas, quantas forem necessárias.