Tulipa e Jeneci no SESC Pompéia

Tulipa e Jeneci uniram forças para uma breve turnê que passou pela Bahia e Rio Janeiro. Agora eles fizeram uma série de 3 shows, com ingressos esgotados, no SESC Pompéia. E eu tive a oportunidade de ver o último desses shows.

Essa turnê coincide com o lançamento da música Dia a Dia, Lado a Lado que foi composta há 6 anos, após uma temporada da dupla no Grazie a Dio, na Vila Madalena/SP. Mas só decidiram gravar ela agora. (Nas palavras da própria Tulipa, essa música tem “altas visualizações no Youtube. Vamos gravar?”).

O show começa com a banda subindo ao palco e mandando Efêmera, música homônima ao primeiro disco da Tulipa. Daí vem os vêm os dois, juntos, para começar um show poderoso, tocante e honesto.

Na sequência vem Felicidade, talvez o maior hit do Jeneci, cantada a plenos pulmões pela galera. Tulipa manda bem nas partes da Laura Lavieri, (que agora está em carreira solo) com uma voz mais grave e com agudos digno de ópera, já bem conhecidos pelos fãs.

O que se segue é uma alternância entre as músicas de cada artista, reproduzidas com perfeição, com uma banda que também é uma mistura dos músicos que acompanha os dois artistas. (Márcio Arantes no baixo e Gustavo Ruiz na guitarra usualmente tocam com a Tulipa. Samuel Fragra na bateria e Regis Damasceno na guitarra com o Jeneci.)

Destaques para “A vida é bélica” que teve uma apresentação poderosa, combinada ao um jogo de luzes sensacional, sem dúvida um dos pontos altos do show (a minha preferida).“Só sei dançar com você” foi repaginada com uma versão “Dancê”, pra ficar mais condizente com o último disco da Tulipa. “Do amor” apresentada de uma forma mais silenciosa, com a Tulipa e o Jeneci dividindo o microfone, que deu um tom mais tocante a um música que já emociona por si só. “Por que nós” emocionou igualmente. Ainda teve espaço para uma música nova do Jeneci chamada “O rei do tempo”. Sem falar de “Dia a dia, lado a lado” obviamente, a música mais esperada do dia.

Do amor com muito amor

O show nada mais é do que uma celebração a uma parceria e amizade, que começou muito antes da fama adquirida por ambos com o passar do tempo. A conexão e sinergia que eles apresentam no palco, quer nas danças, nos olhares, nas brincadeiras é sincera e isso é muito claro para qualquer um que estava lá.

Coincidentemente, a primeira vez que eu vi eles, também foi juntos. Os dois se apresentaram no Cine Joia, há uns anos, mas cada um fazendo o seu show. Eles mal tinham lançados seus primeiros discos, era tudo muito incerto. Ir nesse show foi como voltar no tempo. Tanta coisa mudou de lá para cá. A unica que não mudou é que eles continuam sensacionais. Sai do mesmo jeito que sai daquele show há 4, 5 anos: sabendo que tinha presenciado algo incrível.

(nota mental: esse show do Joia me rendeu muitas histórias. Um dia escrevo sobre)

Setlist 25/01:

Efêmera
Felicidade
Jogo do contente
A vida é bélica 
Só sei dançar com você
De graça
Do amor
O rei do tempo
Por que nós
Dia a dia, lado a lado
Prumo
Copo d’água
Proporcional
Pra sonhar
As vezes
Like this
Nada a ver
Madeira

[BIS]

Dia a dia, lado a lado

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.