gosto de ser sua amiga

gosto quando nossas mãos se tocam enquanto a gente anda pela rua. Amsterdã, Lisboa, Maputo, Bogotá, Bixiga, Botafogo. gosto quando a gente discute sobre o melhor jeito de atravessar enquanto aproveita pra beber do sorriso do outro no meio fio.

gosto de passar vergonha ouvindo você errar as notas do violão enquanto me mostra uma letra que você fez praquela menina tão bonita que chega me moer de inveja e vergonha. gosto quando eu gosto das suas namoradas.

gosto da sua voz engasgada de manhã. gosto do cheiro do seu cigarro. gosto dos seus gatos. gosto dos seus discos. dos seus quartos vazios cheios de instrumentos musicais e barulho. gosto que você me deixa dormir ali.

gosto quando a gente assiste futebol. em casa, no bar, no estádio, no telão. gosto quando a gente não tem grana pra assistir de nenhum jeito e fica fazendo companhia um pro outro em casa reclamando da qualidade do streaming e da comercialização da nossa paixão. ‘inda bem que eu sou Corinthians.

gosto de pentear seu cabelo e de te passar batom sem usar as mãos. gosto daquela camisa que você empresta porque a minha acabou. gosto daquela do seu time que você me deu. gosto quando a gente vai no Biu. gosto quando a gente desiste de sair.

gosto quando você me ensina a nadar, a andar de bicicleta, quando faz no ponto certo, a bebida. quando manda aquele áudio que grava enquanto vai pro trabalho de bicicleta e eu consigo escutar sua respiração mais forte como quando a gente anda junto feito doidos na rua. gosto quando to de rolê e escuto aquela do Zeca que você diz que é nossa.

gosto quando acordo e vejo que é você. gosto quando as lembranças das conversas da noite anterior voltam. gosto dos filmes que você inventa de assistir só com legenda em francês e que eu insisto em assistir só porque você diz que eu vou amar, mas eu geralmente durmo no seu colo, com seus dedos enrolando tubinhos na minha nuca. gosto como tudo parece um plano mirabolante.

gosto quando “eu sou sua mulher” e fico pensando nas implicações pra além de sexuais dessa afirmação. gosto como eu fico confortável nua na sua frente, sem necessariamente, ou sim, com tesão. gosto quando a gente é um do outro. parceria, unha e carne, pro que der e vier. gosto quando a gente divide um prato de comida. gosto de pegar transporte público com você. gosto de ir em show no SESC, de fumar maconha na esquina de casa passando frio só porque você quer ouvir mais um pouquinho de som e tão bonita as mina…

eu gosto de você. gosto de ser sua amiga e de pensar que a gente vai passar o próximo verão juntos algum final de semana e que talvez eu faça aquela costelinha que eu manjo enquanto você trabalha de casa pra me fazer companhia antes da gente ir pra praia. gosto de pensar que a gente vai se encontrar muitas vezes. eu, você, nossas amigas, suas crianças, as meninas, as cachorras, todo mundo. e a gente vai se ouvir, e se abraçar, e dizer como a vida anda e falar do que andou ouvindo no spotify e no partido.

gosto como você traz mais amor pra minha vida. gosto quando você me apresenta um parente e eu fico toda sem jeito porque eles logo fazem alguma piada sobre o status da nossa relação. gosto como você desperta o melhor em mim. os meus sentimentos bons, minhas fantasias, minha curiosidade, força e criatividade. gosto como você é esperto.

a gente já é amigo há tanto tempo que você não precisa nem ficar muito perto o tempo todo pra eu conseguir te ver em algum lugar.