medo do mar

naquele dia eu não tive medo de entrar no mar. tava forte, gelado, e a onda vinha pesada, mas teve aquilo de você voltar um pouco e estender a mão quando eu falei que não sabia nadar — e o sol brilhava tão radiante em você. toda vez que a gente deitava a onda cobria tudo mas você não soltou minha mão enquanto a gente esteve no mar.

naquele dia eu não tive medo da altura e achei tão lindo chegar perto do vidro e olhar tudo aquilo que era seu. também não tive medo que tirassem aquilo da gente. depois de tudo que aconteceu nada poderia dar realmente errado.

e dormi tranquila com seu sol radiando em mim.