Como uma criança me ensina a ser grande


Por Gustavo Enzo Iwata, designer no trampos.co e pai desse carinha aí

Hoje, depois de fazer o café da manhã, lá estava aquele pequeno carinha de poucos anos tropeçando no sono, mas sorrindo e pedindo “um copo de leite quentinho, por favor”.

Dizem que, para os pais, quando um filho nasce, além de só falarem de coisas de crianças, tudo muda. Eu só não sabia o que era. Listo três coisas que me mudaram e que, de certa forma, me ensinam diariamente:

Obra de Mueck e seu efeito sobre o carinha

O TRABALHO
Guy Kawasaki, especialista nas áreas de Tecnologia e Marketing e autor de alguns bons livros sobre negócios, comenta que empresas que têm sucesso foram criadas para trazer um sentido e não para fazer dinheiro. Elas encontraram um sentido para sua existência.

Vamos falar sobre o carinha: sempre quando eu o ajudo a entender ou realizar uma tarefa — e quanto menos material é — mais sinto a verdadeira definição de sucesso, por uma infinidade de razões. O carinha me ajudou mais uma vez aqui pra lembrar que o real motivador, o que dá sentido, é amar a ideia de que todos nossos feitos influenciam direta ou indiretamente na vida de outros. E acho que isso é um bom motivo para se trabalhar.

o conceito de pressa do carinha

A PRESSA
“Vamos logo, estamos atrasados. Anda mais rápido. Come mais rápido”. Talvez vocês já leram este artigo, originalmente do blog Hands free mama, sobre como apressamos nossas vidas.

E — foi mal a frase clichê — vendo o carinha andar pela rua, comprovei que são as coisas mais simples que realmente importam. E, para sentir isso com mais totalidade, não podemos ter pressa. O velho contando piada no trem. O sol rebatendo em alguma janela e projetando uma sombra esquisita. Um beijo de boa noite. Até a merda de cachorro espatifada na rua vira motivo de sorrisos.

AS MUDANÇAS
Não dá pra exigir do carinha que ele aprenda uma coisa facilmente ou simplesmente que ele mude o jeito de encarar as coisas. Ora, e se eles são mais espertos que a gente, por que a gente sempre cai na mesma cilada definindo metas absurdas pras nossas vidas? Cenário familiar: percebemos o que temos que mudar e vêm as soluções dramáticas de uma vez só.

Alguns projetos devem levar mais tempo do que idealizamos. Este famoso TED de Nigel Marsh fala sobre encarar a realidade para definir metas, e também sobre como o clichê “small things matter” é importante para atingir o equilíbrio. Sempre bom relembrar:

Prestar atenção em como o carinha vive é minha melhor maneira de me inspirar. Qual é a sua?

papai, a parada é simples: não faça merda.

Texto originalmente publicado em Tutano.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated trampos.co’s story.