Como a broderagem perpetua a cultura do estupro
Carmen Lúcia Alves
601

Eu não li nem vi esse texto desse sujeito cretino,mas vi muitas mulheres o defendendo no texto que foi aqui recomendado.Passei mal,e nem sei como se faz para responder ( acho que aqui,leitor não pode responder leitor como em outras plataformas).

Tem uma coisa que sempre debati (e briguei) com feministas sérias: a problemática da mulher machista.Acho que chegamos a um ponto que é insano ficar defendendo mulheres que são a favor de prostituição,pedofilia,que não tem empatia com vitimas de estupro( ficam do lado do cara que transou com a vítima),etc.Não tem como cair o sistema se tem tantas de nós o reforçando,o defendendo e tudo sendo justificável.Os homens é que vão fazer a luta por nós? Sempre tive essa impressão já que me falaram que mulhertem o “direito” de ser machista.

Isso tem que ser relevado e discyutido,porquea situação está bizarra.Larguei o feminismo por estar quase beirando a loucura de tanto ver mulher falocêntrica alegando “nos defender”.

Like what you read? Give Trazmanjares a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.