Como construir o Orçamento Empresarial em 5 simples passos

como construir o orçamento empresarial
como construir o orçamento empresarial

Estamos chegando ao final de mais um exercício. Este foi um ano difícil, com muita instabilidade no cenário econômico e metas desafiadoras para serem atingidas. Foi um ano onde houve um aumento muito grande dos custos operacionais e a consequente redução das margens de lucros. Agora é hora de parar um pouco e pensar em como construir o orçamento empresarial para o próximo ano, focando sempre na maximização dos resultados.

Como sabemos, todo Planejamento Estratégico deve ser mensurado monetariamente e necessariamente precisa estar de acordo com os objetivos estratégicos do empreendimento, na visão do investidor ou do empresário. Ou seja, é preciso pensar sempre em como construir o Orçamento Empresarial integrado Planejamento Estratégico da companhia.

Confira abaixo o vídeo elaborado pela Merlo Assessoria de Gestão Empresarial, apresentando 5 passos simples de como construir o Orçamento Empresarial, ferramenta indispensável para a gestão, especialmente nesse período de dificuldades na economia brasileira.

O Orçamento Empresarial tornou-se uma ferramenta de gestão indispensável e deve ser elaborado de maneira simples, objetiva e de fácil entendimento. Precisa ter necessariamente o apoio da alta administração e o comprometimento dos gestores.

O objetivo aqui é apresentar os 5 passos para a construção do Orçamento Empresarial, ferramenta essencial para a Gestão Empresarial, especialmente nesse período de dificuldades na economia brasileira:

1º Passo: Definir as metas de vendas

Ao definir e planejar as metas de vendas é preciso considerar sempre os Retornos Sobre os Investimentos (ROI) esperados, aplicando um percentual mínimo de remuneração sobre o Capital Próprio para estabelecer a meta de resultados para o ano que está sendo planejado.

Por exemplo, se a empresa possui um Patrimônio Líquido de R$ 1.000.000 e deseja uma remuneração mínima de 18% ao ano, o Resultado esperado para ano precisará ser de no mínimo R$ 180.000.

Além da Remuneração do Capital Investido, a Projeção de Faturamento também precisa levar em consideração qual o mínimo necessário para cobrir todos os Custos Operacionais (o famoso Ponto de Equilíbrio Econômico).

Ou seja, as Projeções de Vendas precisam ser suficientes para chegar ao Ponto de Equilíbrio e ainda remunerar os sócios e acionistas pelo Capital Investido.

2º Passo: Levantar os Custos e Despesas Fixas

O próximo ponto é levantar todos os Custos e Despesas Fixas, detalhando por Unidades de Negócios, Centros de Custos e Contas Contábeis, identificando oportunidades de redução de gastos e definindo as metas ou verbas para cada Custo e Despesa.

Estes Custos e Despesas Fixas darão base para o Orçamento de Despesas Operacionais e o Orçamento de Gastos com Pessoal da companhia e servirão de base para acompanhamento e identificação de desvios na estratégia ao longo do ano.

3º Passo: Projetar a Margem de Contribuição

Quanto mais complexo o negócio, mais detalhes precisamos para analisar os resultados e identificar problemas e oportunidades. Para isto, um ponto fundamental é projetar a Margem de Contribuição detalhadamente por segmento, linha de produtos, famílias, grupo de mercadorias, serviços, ou seja, de acordo com a estrutura de produtos e serviços da empresa.

Além disto, é fundamental realizar a Projeção de Margem de Contribuição detalhada também pelos Canais de Distribuição que a empresa atua, como Lojas Físicas, Representantes, Distribuidores, etc.

Este detalhamento todo pela estrutura de gestão e negócios da empresa é essencial na hora de identificar produtos ou canais que possam estar com baixo desempenho e também para depois podermos comparar os resultados planejados com o que está sendo efetivamente realizado e identificar onde estão os desvios.

4º Passo: definir os Investimentos necessários

Seguindo esta linha, precisamos definir claramente os investimentos que serão necessários realizar. Máquinas, computador, automóveis, equipamentos e o que mais for necessário para que a operação seja executada de maneira fluída e otimizada.

Na hora de realizar a Projeção de Investimentos de sua empresa, é preciso planejar cuidadosamente também a fonte de recursos que será utilizada e considerar todos os custos operacionais e financeiros envolvidos.

5º Passo: Calcular a Carga Tributária

Hoje, a carga tributária chega a representar mais de 1/3 dos custos da empresa. É preciso colocar na ponta do lápis todas as operações, identificando cada débito e cada crédito tributário.

Na hora em que estiver analisando como construir o Orçamento Empresarial para o próximo ano, a empresa deve reservar um tempo também para pensar sobre o Planejamento Tributário. A análise e escolha do melhor regime tributário para o próximo ano e demais situações que podem gerar créditos ou reduzir débitos tributários e fazer grandes diferenças nos resultados finais da companhia.

Mais materiais de Como Construir o Orçamento Empresarial

Se você quiser se aprofundar no tema antes de começar a construir o Orçamento Empresarial de sua companhia para o próximo ano, confira três artigos top que separamos com tudo que você precisa saber sobre o tema:

Recomendamos também dois outros artigos que podem te ajudar a pensar de uma forma diferente (fora da caixa) sobre a Gestão Orçamentária de sua empresa como um todo e serem bem úteis quando aplicados a elaboração do planejamento de sua empresa para o próximo ano:

Além disto, outra forma bem bacana de aprender sobre o tema é com nosso curso que acontece todo por e-mail. Você pode se inscrever gratuitamente clicando na imagem abaixo:

Curso Metodologia Treasy de Gestão Orçamentária
Curso Metodologia Treasy de Gestão Orçamentária

Sobre o autor

como construir o orçamento empresarial
como construir o orçamento empresarial

Este vídeo (e artigo) foram produzidos para o blog do Treasy especialmente pelo Roberto Aurélio Merlo da MERLO Assessoria de Gestão Empresarial.

A Merlo oferece suporte ao processo de gestão empresarial, de acordo com as melhores práticas de controladoria e finanças, considerando as regras de negócios e o modelo de gestão de cada Empresa, com o objetivo de maximizar os resultados, agregando valor com rentabilidade, ética e responsabilidade social.


Originally published at Treasy | Planejamento e Controladoria.