Como Ser Mais Produtivo

Todos desejam ter uma vida mais produtiva. Em tempos corridos como os nossos, desejamos intensamente ter uma vida mais organizada, onde cada atividade seja realizada com eficiência e sem perda desnecessária de tempo. Somos responsáveis por tarefas diversas, dentro de áreas maiores de responsabilidade, que nos chamam à ação diariamente. O problema é que, em geral, nossas vidas são bagunçadas; inevitavelmente deixamos sempre as tarefas para última hora. Consequentemente, fazemos poucas coisas e muitas vezes as fazemos mal.

Se você se encaixa na descrição acima, as dicas dadas pelo escritor Tim Challies no livro Do More Better (Faça Mais Melhor, em tradução livre) podem ser valiosas. Do More Better é um livro que pode ajudar os leitores cristãos a levarem vidas mais produtivas.

Tim Challies define produtividade como:

“A administração eficaz de seus dons, talentos, tempo, energia e entusiasmo para o bem dos outros e para a glória de Deus”.

No primeiro capítulo, o autor procura estabelecer os fundamentos de uma vida produtiva como aquela que “busca glorificar a Deus fazendo o bem aos outros”. Logo, é inútil ser produtivo quando não se tem em vista esses dois fundamentos básicos da vida cristã, que é o amor a Deus acima de todas as coisas e o amor ao próximo como a nós mesmos.

No segundo capítulo, Challies procura detectar os “ladrões da produtividade”, identificando-os com a preguiça e seu oposto, uma vida ocupada demais, onde não se tem tempo sequer para parar e planejar a própria rotina. O autor ainda identifica um terceiro ladrão de produtividade, tão perigoso quanto os primeiros, que é a preguiça ocupada, isto é, a mania que temos de assumir muitos compromissos e ficar “empurrando com a barriga”, adiando a sua execução ao máximo. Quem nunca deixou para estudar na noite anterior à prova daquela matéria super importante da faculdade?

A partir do terceiro capítulo, Challies introduz a sessão mais prática do livro. Todos querem ser mais produtivos, mas como colocar isso em prática? Que ferramentas utilizar? Antes de qualquer coisa, o autor insiste ser necessário definir muito bem quais são suas responsabilidades. Somente a partir do momento que você souber exatamente quais os papéis que Deus lhe deu para desempenhar neste mundo, você estará apto a organizar sua vida. Todos os cristãos têm responsabilidades pessoais, familiares, eclesiásticas e seculares. O segredo é mapear essas áreas de responsabilidade, destacando as tarefas que se encaixam dentro de cada área. Por exemplo, na área de responsabilidade pessoal poderiam ser incluídas como tarefas o cuidado com a alma e com o corpo; na área da família, o cuidado com a condução espiritual (para os pais), as finanças, a manutenção da casa, e assim por diante. O importante é que toda e qualquer área seja incluída nessa sondagem inicial, pois é isso que vai possibilitar a posterior organização por meio das ferramentas de produtividade.

As ferramentas em si são apresentadas no capítulo 5 e são divididas em três tipos: gerenciador de tarefas, calendário e ferramenta de informação. Esses três tipos de ferramentas devem ser utilizadas de acordo com os seguintes princípios: um lugar para tudo, e semelhante combina com semelhante. A ideia é que os projetos e tarefas que são semelhantes devem ficar em lugares apropriados, pré-definidos de acordo com a lista de responsabilidade feita anteriormente. Portanto, deve-se designar para cada tarefa ou projeto seu lugar próprio, juntamente com outras tarefas e projetos semelhantes. Se você é estudante, por exemplo, essa é uma de suas áreas de responsabilidade, e é nela que você deve encaixar os projetos e tarefas que envolvam seus estudos.

Para o gerenciador de tarefa, Challies sugere o Todoist; para o calendário, você pode usar o Google Calendar, e o Evernote pode ser usado como ferramenta de armazenamento de informações. A ideia é você configurar cada uma dessas ferramentas usando o mapeamento das áreas de responsabilidade que você já realizou.

Diferença entre gerenciador de tarefas e calendário

É importante distinguir entre um gerenciador de tarefas, como o Todoist, e um calendário eletrônico, como o Google Calendar. Este último serve apenas para o registro de compromissos, de ocasiões ou eventos em que você precisa estar em um determinado local, em determinada hora. Um gerenciador de tarefas organiza seus projetos e tarefas, coisas que você precisa fazer. Eu costumo registrar cada tarefa com um verbo do tipo: Fazer a matrícula do curso tal, terminar o estudo do capítulo x…etc.

Já um aplicativo como o Evernote serve para registrar e armazenar virtualmente quase todo tipo de informação, com a vantagem de você poder pesquisá-las facilmente depois. Quanto mais informações você armazena no Evernote, mais poderoso ele se torna. Ele também deve ser organizado de acordo com as suas áreas de responsabilidade, sendo que cada uma delas equivale a um empilhamento de cadernos no aplicativo. Cada caderno equivale a um projeto dentro da referida área de responsabilidade.


Ainda estou começando a usar as dicas fornecidas pelo autor, e já começo a notar uma significativa melhora na minha produtividade. Quanto ao uso e à configuração do Todoist, Google Calendar e Evernote, se você não puder ler o livro de Tim Challies, faça uma busca simples por tutoriais na Internet que podem lhe ajudar com os primeiros passos nessas ferramentas.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Tiago Cunha’s story.