As tarefas imediatas da esquerda

A esquerda precisa ficar LONGE das centrais de fake news petista, blogs ~progressistas~e de todo ecossistema que montaram para defender corruptos e criminosos do partido. Não se combate fake news com fake news. Não se conquista a população pregando ódio e xingando todo opositor de coxinha e fascista. Nem gritando VAI PM ou colocando suástica em bandeira negra anarquista.

A esquerda precisa criar um ecossistema completamente independente do PT e do PseudoB, perder o jagão “militante de DCE” e (re)aprender a dialogar com a população.

Não precisamos mais de fanáticos seguindo um líder messiânico minando qualquer alternativa de esquerda para se perpetuar no poder.

A esquerda vai precisar, independentemente do resultado das urnas hoje, repensar completamente seus métodos. Jogar no lixo as lideranças tradicionais e messiânicas e buscar começar do zero. Pela base, contra caciques, engajando em debates com a população, buscando alcançar os jovens, apresentar propostas realistas, ter pé no chão e não ter medo de bater de frente com a turma autoritária “LulaLivre”.

Acima de tudo, a esquerda precisa perder o nojinho de dialogar com quem pensa diferente. Tem que ir e conquistar. Tem que falar uma lingua acessível, saber ouvir as críticas e buscar meios de convencer sem ofender, sem atacar quem pode ser conquistado.

Se continuar amarrado em narrativas falidas e fracassadas como “GOLPE” ou “Eleição sem Lula é fraude” enquanto xinga e ataca quem não se submete irá afundar de vez.

Os petistas tem razão em uma coisa, tudo começou em 2013. Só que eles entenderam errado o que aconteceu. Tudo começou com o esmagamento de 2013 que o PT ajudou a promover para impedir o surgimento de qualquer nova ideia de esquerda.