Maduro é nosso ditador!

O PT e o puxadinho do PSOL (com honrosas exceções, como a Luciana Genro) estão se descabelando para “provar” que a Venezuela não é uma ditadura, mas um paraíso socialista e democrático.

Algumas tentativas, como a do Igor Fuser, chegam a causar vergonha alheia, afinal milhões de refugiados venezuelanos estão mentindo, estão saindo do país apenas de sacanagem, porque a CIA mandou.

Já o Maringoni é mais maroto, só porque tem milhões buscando refúgio fora do país, milhões passando fome, centros de tortura e uma ditadura que prende e mata a oposição não vamos criticar, né? É o mesmo caminho escolhido pela Alucynara: Ele é criminoso, mas é nosso criminoso! #LulaLivre (ops).

A turma oscila entre “ele é fofo e lindo e tudo de ruim é obra da CIA” a “ele não é lindo, mas é o que tem pra hoje, você quer que a CIA tome conta?”.

Gleisi Hoffmann, presidente do PT, viajando para a Venezuela não surpreende. Vai ajudar Bolsonaro? Claro que vai, mas o ponto é que o PT não tem mais conexão com a realidade. Suas ações são pensadas desde um pedestal cercado por movimentos cooptados e sindicatos que dizem amém. Não tem ninguém em volta pra dar a real.

No poder o PT se dedicou a submeter qualquer movimento e sindicato, em 2013 apostou na violência e nos gritos de VAI PM contra qualquer movimento autônomo que tinha sobrado nas ruas. O preço foi se cercar de zumbis que só dizem amém e não ter qualquer contato com a realidade.

Fora do círculo petista tudo é fascismo, GOLPE da direita e agentes da CIA — a mídia encabeçando a lista. É o mais puro e típico comportamento de seita. O PT é o par perfeito do Bolsonarismo.

Fora do Petismo tudo é fascismo, fora do Bolsonarismo tudo é comunismo.

Mantendo as devidas proporções, a esquerda Madurista se comporta como parte da esquerda que acusava toda denúncia contra Pol Pot de ser propaganda imperialista. Não importa refugiados, denúncias, farto material (hoje ainda mais), é tudo fake contra a ~revolução~.

Infelizmente muita gente de esquerda tem predileção a apoiar ditadores fechando os olhos para o que são ou na base do “ah, a alternativa é pior”. Claro que esses defensores nunca são os que estão submetidos a regimes ditatoriais, mas ok…

Não importa quão ruim seja o ditador de esquerda, afinal ele é “nosso”. Pior é um ditador de direita, porque aí é “diferente”, não é nosso amigo, não toca musiquinha revolucionária pra gente se arrepiar e nem tem TV estatal passando as mensagens que a gente curte — mesmo que sejam mais falsas do que o comprometimento dessa turma com democracia e direitos humanos.

O importante é estar no poder, é o meu lado estar lá dominando, porque o outro é sempre pior. A própria democracia é um problema — “como assim deixar o povo votar, ele pode eleger quem a gente não quer!”. Então controlemos logo tudo e às favas com os direitos humanos.

Por essas e outras que antes de tudo eu defendo os direitos humanos. Não importa o regime, direitos humanos em primeiro lugar, o resto a gente vê depois.

O Silvio Pedrosa fez um bom questionamento: