Junho e o Golpe
um Fernando
355

O governismo é eminentemente desonesto. O princípio de desqualificados como @Eduguim, @edugoldenberg, DCM, Cafezinho, Brasil 171 e outros é apenas o de sustentar o governo Dilma, não importa como.

O alvo agora (ou novamente) é Junho de 2013. Incapazes de cooptar as ruas na época (e tentaram, seja com a UNE ou diretamente com o PT tentando tomar a dianteira nas ruas), muitos dos citados acima investiram no grito de “VAI PM” (http://is.gd/wXkulM) que também foi bastante usado para defender a repressão durante a Copa e mesmo depois.

Alguns, como o autor do Cafezino (@Migueldorosario) e o doente do @edugoldenberg inclusive se dedicavam a delatar ativistas de esquerda para a PM no Twitter.

Junho de 2013 foi, de fato, o “turning point” que trouxe o PT até a situação atual. Mas não como os ratos governistas gritam, em desespero pela proximidade do fim das verbas que os sustentam. Não foi a esquerda nas ruas que “facilitou o golpe” e sim o governo que, à direita, reprimiu movimentos que buscavam impor aquelas diversas pautas abandonadas pelo PT no poder. Junho de 2013 foi uma tentativa das ruas de mostrar que a esquerda estava viva e lutando. O PT, à direita, se juntou ao PSDB para reprimir e matar esta esquerda.

Junho de 2013 é, enfim, o ponto de não retorno de um governo moribundo e direitista. Ali o recado à esquerda foi dado de forma clara e inequívoca.

Like what you read? Give Raphael Tsavkko Garcia a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.