DICAS: CRIANDO PERSONAGENS

Parte 2

Ignorar a importância de suas personagens é praticamente se condenar (como autor) a escrever histórias mornas e muito pouco criativas. Por outro lado, um devido investimento de tempo no desenvolvimento de suas personagens é uma rica fonte inesgotável de histórias originais. Ou seja, quanto mais complexa for a “vida” de suas personagens mais oportunidades você terá para desenvolver um enredo original para a sua história de ficção.

Então, o que move suas personagens a ponto de deixá-las mais complexas e identificáveis aos olhos do leitor? Não é algo tão fácil, sim, mas basta usar os principais temperos que movem nossas vidas: o drama pelos quais passamos e as formas que encontramos para superar as dificuldades e obstáculos. Mas como fazer isso? Simples... Provoque a identificação do leitor com suas personagens. De que maneira?

Bem, ahn, agora tome nota das dicas a seguir que julgar importantes para a sua história e coloque sua cabeça para trabalhar:

1. Busque motivações

Defina claramente qual o objeto de desejo ou mesmo o objetivo de suas personagens e o quão desesperadamente elas os querem alcançar. Faça com que isso fique visível em todas suas ações. Seja o mais específico possível. Quanto mais pessoal o desejo, mais ele envolverá a imaginação do leitor. Se o objetivo da personagem é encontrar um item específico, por exemplo, pense em um motivo pessoal para que ela o faça.

2. Crie Pontos Fracos

Todos têm pontos fracos, dificuldades físicas, emocionais e/ou sociais. Temos tendência a criar afinidades com pessoas frágeis ou em desvantagem, talvez porque já passamos por situações em que nos sentimos assim. Essa posição de desvantagem abre a possibilidades de crescimento e aprendizado. Ganhe o apoio dos leitores na torcida pela superação das dificuldades de suas personagens mostrando suas vulnerabilidades.

3. Defina as “Regras do Jogo”

Assistir uma simples batalha não tem a mesma emoção do que presenciar uma batalha épica. Participar de um jogo por simples prazer não exige tanta concentração ou provoca tanta ansiedade quanto jogar por dinheiro ou por algo maior. Provoque o leitor sobre o que está em jogo. O que as personagens tem realmente a ganhar ou perder durante a busca por seus objetivos? E o mais importante ainda: O que pode acontecer com elas caso não consigam?

4. Dê Voz as Suas Personagens

Há uma enorme diferença entre ouvir uma pessoa descrevendo outra do que ouvir a própria pessoa se descrevendo, não é mesmo? Tendo isso em mente, foque em diálogos ou monólogos em que suas personagens tenham a oportunidade de fazer isso. Algo que pode ser explorado tanto numa narrativa em terceira quanto em primeira pessoa.

5. Evolução das Personagens

É preciso criar situações de altos e baixos para que suas personagens possam evoluir, como na vida real. Situações em que favoreça tanto uma evolução física quanto psíquica ou até mesmo espiritual podem deixar suas personagens muito mais verossímeis. Pense nas mudanças que suas personagens irão sofrer durante a progressão de sua história; na complexidade das decisões que poderão ou não tomar e no que essas irão influenciar no futuro das personagens.

Agora crie!

@T. A. Batista