Delírios de supertramp

O homem um dia desistiu da vida
e foi pro mato.
Não da vida absolutamente.
Da vida como você conhece:
Acordar
Se fazer decente para o mundo
Trabalhar
Dormir
Encontrou no mato a paz,
e na paz
a falta que há no mato.
Gente precisa de gente.
Mato não é suficiente.
Paz não é suficiente.
À você que é descrente
sugiro que tente
e não pense que sou fraco,
também tentei o mato,
encontrei a paz e também a falta,
e dentre tanto aprendizado
o que marca é que gente precisa de gente.
E não é qualquer gente.
A gente precisa da nossa gente.
Há vezes em que a gente precisa de gente nova
e pode até ser que gente nova se torne nossa,
mas até lá
a gente precisa da nossa gente
sempre,
e falta
quando você menos espera.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.