Viver é nascer toda manhã e morrer toda noite

Quando a gente fala que viver é uma luta parece clichê para a maioria das pessoas. Mas quando se tem alguma condição como depressão ou ansiedade isso é a mais pura realidade. A gente acorda com medo da vida e vai lutando durante o dia para achar sentido e continuar. O bom disso, é que se você for um bom lutador, na maioria dos dias você vence. E quando não consegue, sabe que não vai morrer (de verdade) e que tem o tal dia seguinte, com tudo de novo (quanto mais novo melhor). Aliás, a gente vai criando músculos no cérebro e no coração pra enfrentar a vida, que para um depressivo não é lá tão incrivelmente maravilhosa.

Minha musculação (ou seria treino?) é buscar colorido em palavras de pessoas que eu admiro, amo ou até mesmo desprezo. Das que eu admiro, vêm a força para acreditar que posso ser capaz de seguir com meus planos e alcançar meus sonhos. Das que amo vêm a força vital (O AMOR) que me mantém sã. E das que desprezo, vêm a certeza de que estou no caminho certo.

Escrever é uma das maiores catarses que faço. Por isso estreio hoje aqui no Medium onde encontrei textos que me motivam. Quero mostrar ao mundo que faço parte desse movimento de busca do encontro consigo mesmo. E já faz tempo. Mas agora sinto que encontrei minha praia. Muita gente motivada a ser o melhor que pode; muita gente mostrando vulnerabilidade e com isso dando uma super força para que outras pessoas percebam que é ok ser imperfeito. Isso é realmente libertador.

Nasci escritora esta manhã. à tarde poderei ser ilustradora, à noite talvez eu chore e sinta pena de mim. Mas, como neste momento já estará pertinho de “morrer”, eu aguardo a manhã seguinte e começo de novo. O mais importante disso tudo é saber que há oportunidades em toda parte. Oportunidades de ser uma pessoa melhor, de ser você mesmo, de não ser ninguém, de ser uma pessoa feliz e sentir paz.