O transcedentário sexo: nós em nós mesmos

Lábios entreabertos suspirando desejo na boca do meu ouvido

Assim te quero…

e eu escuto.

Tua língua quente percorrendo meus traços desfalecentes

Assim te quero…

e sumo.

Tuas unhas flagelando suavemente minhas costas e minha nuca

Assim te quero…

e eu sangro.

Teus dentes na minha carne e a amistosa luta de espíritos

Assim te quero…

e perco.

Teus lábios mordidos ansiando devagar a subida do depravado êxtase

Assim te quero…

e eu sonho.

A explosão da tua pupila refletindo o fogo nos meus olhos

Assim te quero…

e queimo.

O silêncio do teu corpo gritando que me querias exatamente assim

Assim te quero…

Depois, morro.