A sociedade realmente deve proteger a tradicional familia brasileira!

Leia todo o texto, por favor.

Esse é um texto anônimo, por motivos de deve ser assim, e vocês entenderão o porque daqui a algumas linhas! Mas bem, vamos conversar um pouco sobre a proteção à tradicional família brasileira (TFB).

Como poderíamos discordar desse ponto, quando tratamos de algo tão frágil quanto a TFB e heterossexualidade? Sim, claro que é frágil. Tanto é, que as provas nos são dadas pelos próprios membros desses clãs. Analisemos os fatos. Utilizar uma roupa, um vestido, uma bata, uma saia já te remove do clã. Dizer a um amigo querido, e de anos, eu te amo te exclui também. Ver homossexuais (fem./masc.) se beijando pode te levar a caminhos obscuros, afinal, quem é que pode entender e ensinar a crianças heterossexuais que duas pessoas do mesmo gênero podem se amar? Loucura isso, não? Contratar transexuais, gays afeminados e lésbicas masculinizadas ou qualquer outra expressão “controversa” traz sérios danos à sua integridade heterossexual. Então, perceba como é fugaz a heterossexualidade. Perceba o quão grande é o risco que a TFB corre a cada dia, sendo cada vez mais crescente o numero dos membros degenerados da comunidade LGBTT e que querem tantos privilégios…

Veja bem, agora trataremos diretamente com as entidades do grupinho da TFB. A vida não está sendo fácil, não é mesmo? Os gays querem destruir vocês, aliciar seus tão amados filhos. Destruir a sagrada entidade do casamento. Criar crianças como se fosse aceitável isso! Onde vamos parar?

Imaginem que loucos são esses pervertidos, que até tão recentemente, cresceram no seio de suas casas, vendo heterossexuais se beijando, transando, se amando. E mesmo assim não entenderam o quão boa a vida é sendo como vocês são. E ainda assim, romperam os laços com a TFB e vivem fora dos padrões, tão bem firmados. Eles envergonham vocês por que desonram a benção divina de ser HOMEM, ou, negam o chamado da natureza para a maternidade. Pensem, como seria se esses loucos pudessem se casar no civil e criarem contas conjuntas, deixarem heranças para seus companheiros, ou até mesmo serem acompanhantes uns dos outros em caso de doenças que requeiram algum parente ou cônjuge presente no hospital. Vejam vocês a loucura que é, vocês permitirem que esse tipo de gente crie crianças, geradas e abandonadas pela TFB. Mas claro, crescer em um abrigo é muito mais digno e justo do que ser moldado por seres desviados do caminho do bem e sedentos por dar seu amor a um bebê indefeso. DEUS ME LIVRE isso acontecer.

Não sei se fui claro ainda, mas imaginem só, mesmo que vocês os expulsem de suas casas, as estuprem para que aprendam a gostar de homem, ou para descobrir quão ruim é manter relações com outrem, eles não aprendem! Como pode isso? Obviamente, dizer que são amaldiçoados por um deus tão bondoso deveria ser o suficiente para mostrar a eles que não vale a pena. Mas eles insistem em citar que se deus os criou, criou com defeitos e acertos, e como poderia que, este sendo perfeito, tenha criado algo que seja motivo de ódio. Assim, citam salmos, o Sermão Da Montanha, ou alguma outra passagem que fale de amor. E vocês sabiamente, citam êxodo, onde o divino pede uma criança como prova de amor, ou mata pequenos bebês para se provar forte a um faraó, que ele mesmo criou, ou até mesmo proíbe o corte da barba ou usar roupas com dois tipos de tecidos diferentes, e quem dirá comer animais de pata rachada, a nossa tão amada picanha ou filet mignon. Ou também vocês citam Paulo, grande apóstolo, que proíbe as mulheres que emitam opinião e coíbe o direito delas de aprenderem.

Todo os dias esses ditos seres humanos passam pelas ruas e são alvo de chacota e abusos, verbais e físicos. E ainda assim NÃO MUDAM. E você, nobre pai, mãe, avô e avó pode estar se perguntando: O que há de errado com eles? E eis a verdade que talvez vocês queiram negar, seus filhos e filhas, sisgêneros ou transgêneros não tem nenhum problema. Essa é a expressão de quem eles são. Eles não escolheram que vocês os amaldiçoem, agridam, estuprem ou matem. Eles são assim e é bom que vocês acreditem nisso, para que a TFB e a heterossexualidade se tornem mais sólidas e não corram risco de extinção. Ninguém quer que vocês se convertam à palavra de Santa Cher, eles querem que vocês os aceitem. Que vocês os vejam como humanos, não como amaldiçoados por seu deus. Eles querem dignidade, igualdade e respeito acima de tudo. Empregos dignos para todos, e portanto, não serem julgados na entrevista de emprego por ter características masculinas ou femininas em excesso. Só querem isso, o direito de amar a quem desejarem e deixar com que esse amor flua para quem quer que precise dele. É desejo, também, dessas pessoas, não terem medo de andar na rua de mãos dadas. Afinal de contas, vocês, héteros, nunca - nunca mesmo -, ouviram na rua “Ohhh heterozinho!”. Viu como podem conviver em conjunto? É só respeitarem e acreditarem que jamais perderam o que vocês são!

Saibam que, eu sou GAY, e sofro muito do que citei acima, e ainda vou continuar sofrendo pela fragilidade do psicológico e da convicção de vocês. Já ouvi do meu próprio pai que sou um castigo divino, sem jamais ter cometido nada errado, ajudando financeiramente em casa, mesmo morando sozinho e em outro estado, e todo o resto que um bom filho pode fazer. Mas a vida é assim! O que eu peço é que me ajudem a transformar o mundo para os próximos que virão, e tornar a caminhada deles em algo mais prazeroso!

Um adendo importante, não exponho meu nome pois meu pai pediu que eu não o fizesse. Pediu, sem medo nenhum de me machucar ou de me reprimir, que minha família jamais descobrisse, para que ele não passasse vergonha — palavras dele próprio. Não pelo medo de aparecer!

Só posso dizer, em conclusão, que vocês da TFB precisam descobrir que são e sempre serão presentes na sociedade. Que ninguém os quer mortos, como muitos de vocês fazem conosco. Queremos conviver em paz e a dignidade que qualquer ser humano merece, e isso inclui direitos! Não façam com que pessoas sofram por suas crenças pessoais, criem consciência de que esse discurso de ódio mata, não por suas mãos, mas pelas mãos de quem não tem juízo para discernir o certo do errado.

Essa é uma carta aberta, de um gay comum às pessoas de uma sociedade que podem começar a mudar agora, e, entender que o diferente não é ruim nem bom, é diferente.

Obrigado se chegou até aqui, e seja uma boa pessoa! O mundo agradece!

P.S.: Nenhuma mulher vai voltar para a cozinha. Nenhum negro vai voltar para a senzala. E nenhum LGBTT vai voltar para o armário.

Ass. Um gay comum!