Eu não te conheço.

Você me disse que vai partir.

Você me disse que nada lhe prende aqui.

E eu?

Eu fiquei sem entender o que estou sentindo.

Eu não te conheço. Não muito.

Eu sei que você é lindo e fofo. E me faz sorrir.

E sei que você me deixa bobo, me faz parecer um adolescente.

Sabe aquela coisa de intensidade? De ser intenso. De sentir intensamente. Sou eu. E por experiência própria, essa intensidade sempre vem e acaba comigo.

A intensidade de criar coisas na minha cabeça que nem sempre estão lá, a intensidade de criar por dois, quando não deveria estar criando por nenhum.

Eu não te conheço. Mas quero te conhecer.

Eu sei que você tem uma história sombria. Que você tem demônios que te caçam. Que a escuridão te aflige. Que seus olhos contam uma história sem precisar de palavras.

E nesses mesmos olhos eu me perco. Como se fosse um céu negro, um céu negro e estrelado.

E talvez eu não deveria insistir em você, talvez eu acabe descobrindo que sua história seja mais do que eu possa aguentar. Talvez. Isso é algo que eu penso, que eu crio na minha mente. Mas não é algo que eu sinta. Não por enquanto pelo menos.

E você me disse que vai partir.

E o que eu escutei foi: eu vou te deixar.

Mas como você vai me deixar? Se eu não sou seu.

Na verdade, como você pode pensar em partir sendo que eu posso ser seu? Sendo que eu quero ser seu.

Você quer ir atrás da sua felicidade. Você está certo. Eu também quero. Meus medos são diferentes dos seus. Talvez por isso meu espírito seja mais preso, e o seu mais livre. Enquanto eu tenho a vontade de voar, tenho medo que minhas asas me falhem. Você não. Você quer voar, e vai voar. Mesmo que você caia, mesmo que o vento te derrube. Você já está acostumado a isso. A cair. A cair e a levantar. Sozinho.

Só que talvez seja hora de cair e levantar com alguém do lado. Ou melhor. Nem cair e nem levantar. Porque naquele momento que você sente tocar o chão, o outro te pega no ar e te carrega até você estar bem o suficiente de novo.

E eu não te conheço.

E mesmo sabendo que você vai partir, eu quero te conhecer.

Mesmo sabendo que podemos ter uma história, e que essa história se interrompa. Eu quero te conhecer.

Eu não acredito em acaso. Sempre fui aqueles que acreditam que tudo tem um porquê, um motivo. Cada vez mais creio nisso.

E você, bem você entrou na minha vida há semanas, e muito por acaso. Aleatoriamente. Conversamos no Instagram por horas, te conheci no mesmo dia. Ficamos no mesmo dia. E no outro, e no outro. E você me fez fazer coisas que nunca pensei em fazer, que julgava os outros por fazer. Cair por alguém assim em tão pouco tempo? Alguém que nem conheço.

Só que tempo, tempo é relativo.

E eu estou me deixando levar, contra alguns conselhos de amigos que se preocupam comigo, eu estou deixando você me levar. Para aonde? Só o tempo vai dizer.

E eu nem te conheço.