Etiqueta de estádio

Caso você nunca tenha entrado num estádio de futebol pode até duvidar da ideia de que esse lugar aparentemente sem lei é regido por uma etiqueta interna. Pode até não ser das mais sofisticadas, é verdade, mas ela existe e a reprovação pelo seu descumprimento é talvez uma das mais rigorosas.

Por exemplo, enquanto normalmente é uma questão de educação básica sempre lavar as mãos antes de sair do banheiro, no estádio é o contrário. Não por uma preocupação com a qualidade da água ou algo do tipo, mas se você quer evitar um grito de “Quer lavar a mão fica em casa, porra. Cê é viadinho?” deve passar longe das torneiras.

Esse grito surge de um lugar desconhecido, talvez até já tenha sido incorporado ao sistema de som, tão acostumado com as regras locais, mas ele surge.

Se na arquibancada todo mundo está sentado, permaneça sentado. Se todo mundo está em pé, fique de pé. Não é você quem vai definir esse ritmo, então o mais sensato a se fazer é apenas aceitar.

Em nenhum momento de nenhum jogo de futebol cante “sou brasileiro com muito orgulho, com muito amor”.

Também é recomendável guardar a ôla para os jogos de vôlei.

O juíz deve ser xingado desde o momento do aquecimento.

Para o time adversário, vaiar é o suficiente.

Se você consegue alcançar o vendedor ambulante e outras pessoas não, é educado mediar a transação entre eles.

No Nordeste, ir para o estádio com camisa de time do sul é ser conhecido como “misto do caralho”.

Não se nega um abraço durante o gol.

Já abraçar um torcedor adversário pode lhe fazer ser elogiado pelo SporTV, mas não vai lhe dar muitos amigos na sua própria torcida.

Se você fica sabendo de outros resultados relevantes da rodada comunique às pessoas próximas, mesmo que não as conheça.

Não conhecer não é um empecilho para nenhum tipo de comentário que queira fazer com as pessoas próximas.

Se derramarem cerveja em você, não reclame. Quer sair limpinho fica em casa, porra.

Felizmente parece que o tradicional saco de mijo foi aposentado dos estádios brasileiros, então essa é uma preocupação a menos.

Filmar pênalti é pior do que filmar show, balé ou Formula 1.

Na verdade filmar qualquer coisa no estádio é desnecessário. Isso vale também para selfie: uma por jogo é o suficiente. Áudio da torcida cantando tá liberado, mas sem exagero pra também não ferir a etiqueta de whatsapp. Ligação nem pensar e ficar de conversinha no messenger é digno de expulsão da torcida.

Não quer ver o jogo fica em casa, porra.