Como o Brasil se tornou a maior aposta de liderança do futuro

A mente humana é talvez o mais enigmático e absolutamente fantástico universo existente, porém com um pequeno problema de fábrica: tende a nos pregar peças capciosas. Felizmente esse pequeno detalhe pode ser facilmente remediado (e porque não, prazerosamente) conhecendo e interagindo com outras culturas.

O mundo seria um lugar muito melhor se pelo menos uma vez na vida cada indivíduo pudesse olhar pra si mesmo através dos olhos de outra pessoa, e meu caro, viajar trata-se exatamente disso.

Quando viajamos o choque cultural permite uma visita rápida pelos olhos alheios, pois a distância de casa e a intensidade da normalidade cotidiana aciona aquele botão vermelho chamado: relatividade. Sem mais, é nesse piscar de olhos que a mágica acontece e a visão micro estoura para macro.

Neste exato momento cá estou eu, encarapitada no melhor estilo John Malkovich, absorvendo uma contracultura, que de maneira tão sutil quanto uma bigorna na cara revelou um fato quase improvável, porém verdadeiro: O Brasil tem todas as ferramentas para se tornar a liderança do futuro.

Como eu comentei nesse artigo, o mundo começou uma longa caminhada de mudança ideológica, política e econômica, e o Brasil já saiu na frente por algumas razões:

  1. Diversidade. O Brasil construiu um conceito próprio de diversidade. Em outros países, como o Canadá que é considerado um símbolo multicultural por exemplo, as diferentes culturas convivem sem nunca se misturarem. Os chineses vivem com chineses, ucranianos com ucranianos e isso é passado através de gerações. Chega a ser bizarro uma pessoa dizer que é irlandesa tendo nascido no Canadá, assim como seus pais e até avós, somente porque alguém no passado da usa família veio da Irlanda. No Brasil as culturas mantém suas raízes e tradições, no entanto somos todos brasileiros. O estrangeiro que vem para o Brasil rapidamente é reconhecido e tratado como legítimo brazuca, sabe como é, já é de casa. Esse comportamento é uma lição de globalização e fraternidade que muitas nações apanham para aprender.
  2. Quando o complexo de vira lata trabalha a favor. Que o povo brasileiro tende achar que tudo que vem de fora é melhor, não é nenhuma novidade. Entretanto, essa premissa produziu um resultado inesperado: os brasileiros se tornaram especialistas em olhar algo de fora, descartar as desvantagens, dominar os benefícios e ainda melhorar suas características. É fantástico como isso se aplica às mais diversas áreas: construção, comida, roupas, tecnologia, comunicação, marketing, etc. Essa habilidade nas mãos de um povo com educação de qualidade será absolutamente imbatível.
  3. Não temos fronteiras. O espírito de aventura e resiliência parece estar no gene brasileiro. Começar do zero, dar a cara a tapa todo dia faz parte da nossa cultura, do nosso cotidiano. Os brasileiros no exterior são comumente bem sucedidos em virtude dessa qualidade ainda tão pouco explorada. A língua portuguesa brasileira, tão fluída e rica em sons, permite que tenhamos uma flexibilidade espantosa em aprender outros idiomas — ouvimos e assimilamos novas expressões como poucos.
  4. Somos um dos países mais conectados e solidários com o mundo. Mesmo com a sucessão de governos sofríveis no Brasil, permanecemos sempre como um país pacífico e generoso frente aos demais. Durante crises e tragédias, somos os primeiros a estender a mão, debater o assunto e tentar contribuir de alguma forma. O brasileiro conhece naturalmente o conceito de amparo e solidariedade.
  5. O Brasil está no embalo da evolução. Protestos, debates, criação de movimentos sociais, ocupação de escolas, desconstrução, reflexão.. Esses são temas duros de encarar, requerem desejo de mudança e peito aberto para o progresso. Nosso país tem tudo que qualquer outra país pode querer: água, minério, terra fértil, petróleo, clima, pesca, agricultura, bens naturais fartos e estamos escrevendo nosso nome na tecnologia e nas políticas sociais. Temos um longo caminho pela frente enquanto sociedade e valores morais, mas 2015 deixou claro que os brasileiros querem um futuro melhor. Toda essa crise ideológica dentro do país, torna claro que esse movimento além de forte está incomodando os padrões conservadores que se beneficiam unilateralmente do sistema atual. O brasileiro abraçou o mundo e fazendo isso descobriu a si mesmo.
  6. O Brasil é uma caixinha surpresa para o mundo. De maneira geral existem duas reações sobre o Brasil em outros países:
  • Acham que é o país do carnaval, futebol e de mulheres semi nuas.
  • Não fazem a menor ideia.

Antes essa prerrogativa me incomodava muito, mas depois percebi que isso é uma carta na manga pois aciona um gatilho chamado curiosidade. Isso é incrível! A maioria dos outros países não sabe nada a nosso respeito (ainda que digam o contrário) e as pessoas querem saber mais. Isso abre portas. A curiosidade dos outros funciona como ingresso de entrada em muitos ambientes restritos. Todo ser humano é curioso, e essa é a nossa brecha pra surpreender.

Não tenho dúvidas que muitos vão discordar veementemente do que coloquei aqui, e compreendo perfeitamente. Somente quando deixei o país foi que consegui perceber claramente todas essas características brasileiras e como isso é raro em outros países. Compreendi também que o que torna um contexto parte ou não da cultura de um país, é muito mais do que a proporção dele dentro da população, e sim a maneira como as pessoas reagem a esse contexto. A parte boa disso tudo é que o Brasil vai ser só o começo, mas com pé direito é claro! Mangalô três vezes…

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.