Consumenos

Como comunicadora, sempre dou uma olhada em tudo o que acontece nas redes sociais — mesmo que não entenda algumas. Pesquiso, vejo o que está acontecendo, quem são considerados os melhores em cada uma, etc.

Como mãe, me preocupa muito a nova geração de celebridades vindas do YouTube. Não serei hipócrita, mas gosto de futilidades, uma comprinha aqui ou outra ali. Mas, de verdade, o que eu vejo nessas (em sua maioria) meninas que despontaram como musas da nova geração é um consumo desenfreado e sem sentido. Vídeos com agrados de marcas caras, compras fora do país, dentro, em fast fashions… COMPRAR! COMPRAR! COMPRAR!

Consumir sem olhar a quem ou o que. Fico olhando os comentários e tenho arrepios. Como os pais dessas “crianças” lidam com pedidos de compras astronômicas? Como trabalhar o conceito de sucesso e frustrações dessas mentes?

Não sei, posso estar errada, mas acho que essas meninas precisam ver menos YouTube e gastar mais tempo nas ruas. Está aí algo que quero trabalhar melhor para usar com Clarice.

Como comunicadora, fica a pergunta: como fazer essas jovens mudarem seus temas e ainda terem marcas apostando nelas como geradoras de conteúdo?

Like what you read? Give vanessa fontes a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.