Dói mais perder um amigo do que um amor

Hoje, mais uma vez, senti a tua falta!

Sem saber o que fazer, dou por mim aqui a tentar desabafar algo, que nem sei como começar.

A única coisa que sei, é que nunca pensei, algum dia, escrever algo tão negativo em relação a ti… a ti, que eras o meu menino, aquele amigo que eu defendia com unhas e dentes, aquele que eu amava e que virava o mundo ao contrário para o ver bem. Por ti matava, por ti morria!

Não era suposto, alguém a quem eu dei tanto de mim, ter-me abandonado desta forma, e numa das piores fases da minha vida, como tu fizeste. O que te fez perder todo aquele amor, toda aquela amizade que tu sempre juraste ter por mim?

Eu merecia mais…

Ou será que ainda vives na ilusão que eu acreditei nas desculpas que me deste? Mesmo sabendo que não errei contigo, eu pedi-te desculpa. Eu dedicava-me a ti, enquanto tu só te preocupavas em falar comigo, quando a vodka já falava por ti. Que burra que fui, não achas?

Eu lutei por ti, pela nossa amizade, coisa que tu não fizeste, nem demonstraste ter interesse em fazer. Sabes o que dói mais? Ter a cabeça cheia de memórias tuas, de momentos que jamais voltarão.

Custa tanto, olhar para ti, ver o que eras e ver o ingrato em que te tornaste. Tu foste aquela pessoa que me fez acreditar naquela frase feita:

«não existem amigos, existem momentos de amizade»

Isto é triste sabes? É triste eu só conseguir sentir mágoa, revolta e desilusão de alguém que eu adorava tanto. Porém, no meio de tantos sentimentos, espero que fiques feliz ao saber:

Eu jamais te conseguirei odiar!

Tu arranjaste uma vida nova e puseste-me fora dela. A frustração é grande, sabes?

Não te pedirei para voltares a ser meu amigo, não porque não sinta a tua falta, mas sim porque esse é daquele tipo de coisas que não se pede a ninguém.

Mesmo triste e desiludida, só te consigo desejar o melhor do mundo. Que encontres o teu caminho. Nunca te percas e sê muito feliz.

A tua ex-amiga.