Todo relacionamento hétero é abusivo?

A escalada do abuso

Um print num grupo e voltou à tona a afirmação “todo relacionamento hétero é abusivo”. Muitas discordaram veemente alegando que isso tem um efeito parecido com o tal “somos todos___”. Afinal, se somos todos, ninguém é. Se todo relacionamento é abusivo, então nenhum o é.

Ainda há a questão de que dizer que todo relacionamento hétero é abusivo, dificultaria as verdadeiras vítimas de abuso de se reconhecerem na situação, dificultando a saída dele, ou até o reconhecimento que está em um, logo, um desserviço.

É tão preto no branco assim? Todo relacionamento abusivo começa dessa forma? Segundo estudiosos do assunto, não.

Mesmo assim, voltamos à questão incial. TODO relacionamento hétero é abusivo?

Olhando as escandalosas estatísticas de violência e feminicídio de meninas e mulheres do Brasil é fácil acreditar que sim mas, mesmo assim, ainda é uma afirmação muito forte q ser feita. Então vamos no argumento número dois, sobre as características do relacionamento abusivo e analisar o gráfico abaixo:

Leitora hétero: em toda sua vida amorosa, nunca passou por nenhuma dessas situações? Nenhuma mesmo?

Se nunca passou, pense de novo. A ficha pode demorar anos pra cair.

Mas e aí? Todo relacionamento hétero é abusivo?

Entendo que essa premissa parte de que qa relações héteros partem do contexto em que vivemos, com o homem no topo e mulheres ainda lutando pela conquistas de direitos básicos. E entendo, ainda, que toda generalização é falha. mas sabe aquele conselho de vó? Aquele de “nunca dependa de homem?”

Acho que esse sim deveria virar cartaz e ser espalhado por aí.

No país que ocupa o quinto lugar do mundo de mulheres assassinadas, que a cada 3 minutos uma mulher é espancada, com 50 mil estupros notificados por ano, a afirmação que não existe uma cultura que favorece a violência contra a mulher não é sustentável.

Logo, todo relacionamento hétero é abusivo pode parecer chocante e generalizante, um desserviço, mas contextualizado e com informações que ajude a vítima a identificar, juntamente com uma rede que a ajude a romper, faz muito sentido sim, infelizmente.

Nem todo relacionamento abusivo começa assim. Informação é poder, ou empoderamento, para usar o termo que está na moda.

O pessoal é político

Like what you read? Give Vanessa Franquilino a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.