Efeitos da tecnologia nos primeiros anos de vida

Estudos revelam as consequências do uso excessivo da tecnologia por crianças na primeira infância

Crianças menores de 5 anos sofrem diariamente com os efeitos que a exposição à tecnologia provoca. Na maioria dos lares brasileiros, os pais permitem o acesso a seus filhos precocemente e muitos deles desconhecem o risco que essa exposição pode causar no desenvolvimento da criança.

No início da década de 1990, surgiam dois fatores: a internet e a geração y — os nascidos a partir da mesma década. Com o advento da evolução tecnológica, os aparelhos tecnológicos que eram sucesso há 10 anos, hoje estão se tornando totalmente obsoletos.

Há vinte anos, junto com a popularização da internet, surge a geração y que apesar de crescerem junto com a revolução tecnológica, internet, não se tornaram tão submersos quanto a nova geração. Nos dias de hoje, fala-se de uma nova geração: a geração z, os nascidos a partir de 2010 que hoje tem aproximadamente 7 anos de idade. Essa geração, são os que estão mais familiarizadas com a tecnologia do que as que nasceram há 20 anos, e isso é um alerta que pesquisadores têm feito aos pais que em sua maioria, nasceram na geração anterior, e desconhecem os efeitos que a alta exposição à tecnologia causa.

Foto: Bigstock

O neuropediatra Christian Muller, membro da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), alerta que já existem riscos físicos e comportamentais comprovados devido ao uso excessivo de tablets e smartphones por crianças. “Dores de cabeça, alterações posturais, prejuízos na visão, tudo isso já foi pesquisado. Sem falar no prejuí­zo na hora de dormir, já que a luz emitida por eles altera a liberação da melatonina, hormônio que regula o sono e que só é liberado no escuro.”, explica.

Um relatório divulgado pela Public Health England, agência responsável por definir os parâmetros do sistema de saúde público britânico, apontou que crianças que passam muito tempo na internet estão desenvolvendo problemas de saúde mental.

Foto: Bigstock

Um dos distúrbios também discutidos pelos cientistas é a alienação, causado pelo uso precoce da tecnologia por crianças. Essa geração é induzida ao consumo da tecnologia desde pouco depois do nascimento e com o fácil acesso das crianças aos smartphones e tablets, o que na maioria das vezes é visto pelos pais como algo “bonitinho”, é condenado pelos especialistas.

Segundo o sociólogo, Zygmunt Bauman, nós estamos em uma modernidade líquida que tem como característica a fluidez e a contingência tanto de mercadorias como de relações humanas. Ou seja, essas crianças por estarem crescendo imersos à tanta tecnologia, em um determinado momento, assim como os produtos tem uma durabilidade menor, as relações humanas também terão, até que não mais existam. E isso trará muitos distúrbios como afirma Cristiano Nabuco de Abreu, psicólogo e coordenador do grupo de dependência tecnológica do Hospital das Clínicas/SP.

Na medida em que elas ficam voltadas para a tecnologia, elas deixam de exercitar uma coisa importante, que é aprender a lidar com a frustração. São coisas que você vai aprendendo e vai desenvolvendo o que a gente chama popularmente de inteligência emocional. Um indivíduo, uma criança, um jovem se torna dependente exatamente no momento onde ele começa a negligenciar atividades do seu cotidiano para preferir estar conectado ou interagindo com a tecnologia, explica.

E muitos pais com medo de traumatizar seus filhos, não sabem como lidar com a situação. De acordo com Slavo Zizek, o trauma é entender que não podemos ter tudo. É preciso saber dizer não, pois o não é necessário para a construção do caráter emocional e crítico da criança.

O controle é essencial pois a internet é um meio de comunicação muito importante na sociedade e não podemos excluí-la. O que deve ser feito é o controle do uso, principalmente durante a infância.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.