Rita 2

Sonata Op31. n2: III Allegretto, Beethoven aqui dentro e os gritos lá fora. 
Meia-noite e treze e eu escondida pra ver a correria sem fim de Jane, Macilon e um homem meio mulher uma mulher meio homem, que fugia de Jane, que o perseguia com uma pá e que tentava se livrar de Macilon, que era incapaz de segurar a mulher. “Não deixa ela me pegar que eu tô grávido”, ria o que a Jane chamou de A Coisa.

A Coisa usava maiô porque Macilon trouxe ela aqui pra debaixo do nariz de Jane pra nadar sob o luar que iluminava o meio metro de água que ainda tem nessa piscina suja, que não está seca, mas está suja. Piscina suja é tão triste quanto piscina seca, não sei o que é pior, coitada da Coisa. Encontrou a piscina imunda, a mulher do amante e a quina da pá que lhe acertou em cheio e

.“Eu matei a Coisa”. 
 
 Com a mesma pá e rápido, Macilon cavou. E Jane, assassina, estátua.
 Mais rápido, mais rápido! 
 O buraco no jardim, 
 a Coisa no buraco, 
 a Coisa sob a terra,
 a terra sobre a Coisa, 
 os dois pro quarto. 
 Silêncio e mais rápido!

Passaram-se horas.

E eu cavei cedo pra ver que coisa era a Coisa.
 
E não achei nada.

Cavei o jardim inteiro pra achar a cara da coisa 
e não tinha Coisa alguma 
coisa nenhuma 
nenhuma Coisa. 
 
Cavo todos os dias e só encontro você.