Peça

E mais um vez pregaram uma peça em mim… Não pude ver que o centro da piada esse tempo todo era eu. Eu ria com todos, mas as risadas eram para mim, como se fossem aplausos para um episódio no qual eu não sabia que iria ser a protagonista.

Se eu pudesse escolher, e não pudesse fugir, escolheria ter uma participação especial, ou até mesmo, ser coadjuvante. Talvez seria menos humilhante, a piada seria menos pesada.

Dessa vez, o humor não tinha graça, era amargo como fel. Um sabor nada saboroso, que descia pela a minha garganta junto a cada gole daquela bebida gelada, que iria mais tarde mostrar o lado frágil mas nada sensível aos ouvidos daqueles que riam a minha volta.

E lá estava eu, te observando ser quem você realmente é. As pessoas estavam ha nossa volta, e eu pude perceber que estava virando um show, no qual eu pagaria caro por estar presente; Enquanto a você, só colocou lenha na fogueira, e me colocou no meio, e esperou. Esperou pacientemente até tudo começar a se encaixar na minha mente. E aquela peça que faltava, você pregou, e foi embora, me deixando lá, sendo queimada, como as bruxas eram queimadas pela comunidade na década de sei lá quando.

“VOU NEM FALAR NADA PRA VOCÊ!”

Essa foi a peça, o última peça que faltava no meu quebra-cabeça. A peça que você fez questão de guardar até o último segundo, mas também quando à encaixou para mim, foi como uma bomba, que me explodiu, e com ela, levando todo o meu chão.

Mais uma vez pregaram um peça em mim… Mais uma vez fui protagonista de um show de horrores, aonde não tiveram piedade, compaixão e nem amor.

Mais uma vez me machuquei com aquilo que eu achei que poderia dar certo, que poderia ser um fairytale, daqueles que você me chamaria de princesa e você seria o meu príncipe; Mais um vez, não foi dessa vez que eu tive um final feliz. Mas foi dessa vez, que todos viram que as aparências enganam, e que o “amor” pode amar várias.

Eu posso estar machucada, mas eu sei que a vida não deixará barato, e você pagará pelo que fez. E quando isso acontecer, terei pena, mas irei rir, porque aquele velho ditado “Quem ri por último, ri melhor”, não falha!

You better watch out ! Because what goes around, comes all the way and back around.

Sim, você tirou o meu chão, mas você não sabia de uma coisa, eu sei voar!

As minhas asas estão feridas, mas nem por isso, eu deixei de voar. Voei. Cansada, machucada e destruída por dentro, mas voei! E continuarei voando, pois eu sei, que o bem atrai o bem, e um dia, eu irei pousar e descansar, e nunca mais me preocupar, pois estarei no meu porto seguro, sendo protegida no meu castelo, aonde eu serei a rainha e terei o meu rei.

Enquanto isso, você ainda terá essa “fama” que não te trás nada, além de vergonha, porque você pode e poderá enganar muitos por aí, mas você, e (infelizmente/felizmente) eu, sabemos a podridão e a solidão no qual você vive.

E mais uma vez pregaram uma peça em mim…

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Natália Vargas’s story.