Os Rocks mais chatos do mundo

(que na verdade são hinos imortais)

Proibido tocar “Stairway to Heaven” (Wayne’s Word também é um filme chato engraçado pra cacete!)

Já aconteceu com você pelo menos uma vez na vida. Encontro de motoqueiro, ensaio de bandinha da escola, aquela quermesse com apresentação da banda de rock-pop do bairro porque não tem banda de forró suficiente nos arredores, aquele bar descolado na sexta à noite com música ao vivo.

Não adianta. Uma hora ou outra, você vai topar com as figurinhas mais fáceis do mundo do Rock, as músicas-que-todo-mundo-quer-tocar, mesmo que não consigam chegar perto do original.

Sim, porque o que tem de gente aí assassinando o som não tá no gibi. E posso falar de causa própria, já tentei aprender a tocar guitarra. O professor era ótimo, já o aluno…

Daí que de tanto ouvir, o que acontece? A música “fica chata”. Ninguém aguenta mais, é um porre — inclusive não tem porre que anime o coral quando toca uma dessas — e acaba que a gente perde a noção das belezuras que só o bom e velho rock é capaz de criar.

Vou ficar enrolando não. Vamos à lista. Solte o Emmerson Nogueira que existe em você e cante junto comigo!

Ps.: a imagem que abre o texto nem é muita zueira. Não vale “Stairway to Heaven”, ok?

Eagles — “Hotel California”

11 em cada 10 encontros de motoqueiros TEM QUE TER “Hotel California” no repertório. Se tiver apresentação de 5 bandas durante o evento, é certo que as 5 vão tocar.

De tanto ouvir fica chato. Pra piorar, “Hotel California” tem tanta versão tosca por aí que parece um concurso mundial pra ver quem faz a pior versão. Só que tem um porém: a original é ES-PE-TA-CU-LAR. Sem sacanagem. Os solos do Frey e do Leadon, a voz do Don Henley, a levada reggae e principalmente a letra cheia de interpretações faz dessa uma puta música!

Creedence Clearwater Revival — “Have you ever seen the rain?”

Outra INSTITUIÇÃO de qualquer encontro de motociclistas. Na verdade toda banda que se preza num evento desses tem que saber tocar pelo menos METADE da discografia do Creedence.

É uma música mais simples que a anterior, mas é muito boa. Tem uma linha de baixo bem legal e é facinha de tocar, o que acaba conquistando as bandinhas que estão começando.

Guns N’ Roses — “Sweet Child O’ Mine”

É a “Stairway to Heaven” dos anos 1990, principalmente por causa dos solos. Só que o Slash — nem tanto quanto o Jimmy Page — é um animal com aquelas seis cordas nas pontas dos dedos e existe sempre uma espécie de regra: ou a banda tem um guitarrista que consegue imitar o Slash ou um vocalista que consegue imitar o Axl. Eu nunca os dois (bons) covers juntos.

Na verdade hoje em dia nem o Axl chega no tom do Axl de vinte anos atrás então tá valendo…

Bon Jovi — “Livin’ On A Prayer”

Ouvir (ou cantar) Bon Jovi no karaokê é mais certo que gol do Romário contra o Botafogo. Nem é um “musicão da porra”, mas é animada bagaray… ah, vá lá, debaixo desses mullets tem uma música legal, vai. Farofa extrema.

Deep Purple — “Smoke on the Water”

Atire a primeira pedra quem nunca pegou uma guitarra e tentou reproduzir o riff dessa música. Daí pra virar repertório de qualquer bandinha de barzinho é um pulo. Além de tudo, ainda tem um refrão propício à modalidade coral-bêbado, um clássico da night.

Audioslave — “Like a Stone”

Teve uma época aí que parecia que essa música tava me perseguindo. E cada vez de um jeito diferente, um arranjo torto, um vocal maltrapilho ou só mal feito mesmo (inclusive, r.i.p. Cris Cornell, e obrigado). Chegou num nível que os primeiros acordes começavam a tocar e tinha vontade de ir no banheiro, (ou ir embora, se o lugar estivesse chato). Mas é um musicão!

Pearl Jam — “Black”

MESMO PROBLEMA da música anterior, com um agravante: ninguém conseguia emular o sotaque “caipira de Seattle” do Eddie Vedder, o que deixava as coisas mais toscas. Música facinha de tocar, mas tem que ter a manha. É meio que uma irmã gêmea de “Alive”, só que essa segunda tem o plus do refrão que pelo menos nos shows do Pearl Jam tu espanta todos os espíritos ruins de perto só no gogó.


É isso, pelo menos por enquanto. Conheço outras, mas daí a gente cai pro Rock-BR e periga nunca mais sair desse post…

Observação: todos os links foram verificados em 13/07/2017.