Quando a experiência me atrapalhou

Ter experiência é algo maravilhoso. Quanto mais eu vivo, quanto mais eu passo por situações que jamais imaginei que passaria, mais bagagem coloco na minha mala e o que eu faço com essa bagagem define o meu amadurecimento.

A gente sempre ouve que com os erros do passado aprendemos a não cometê-los novamente, assim vamos ficando mais maduros e consequentemente passamos a tomar melhores decisões.

Mas depende muito de como você usa sua experiência ao seu favor. Muitas vezes ajuda em outras atrapalha.

Acredito que para a maior parte das coisas, a experiência e os erros te levam a um caminho melhor, mas quando se trata de relacionamentos interpessoais, nem sempre.

Pessoas são diferentes por natureza e seguir os mesmos padrões com todo mundo trarão resultados diversos. Vou dar um exemplo bem superficial sobre isso em dois relacionamentos que tive:

Meu penúltimo namorado acordava muito tarde no final de semana. Quando dormíamos juntos, na manhã seguinte eu acordava por volta das 10h e ele mais ou menos às 13h. O que eu aprendi para que nossa convivência fosse pacífica era que não podia acordá-lo antes da hora, porque ele precisava descansar. Quando fazia muito barulho e o acordava, ele ficava irritado.

Corta para um sábado aleatório do meu último namoro em uma manhã que acordei antes do meu ex. No momento que percebi que não conseguiria dormir e eram umas 9 da manhã, saí da cama discretamente e fui para sala fazer qualquer coisa. Quando meu ex acordou e viu que eu estava na sala, ficou chateado porque eu não o chamei para aproveitarmos o sábado juntos.

Segui um padrão antigo e errei.

Isso é apenas o exemplo mais superficial que trago sobre esse tipo de situação. Mas em meu breve último relacionamento, eu trouxe a minha bagagem de cinco relacionamentos furados e com as experiências que tive, as usei para estragá-lo em tempo recorde.

Se eu fosse para meu penúltimo namorado o que fui para o último, teria sido um excelente namorado para aquele. Eu me baseei em todos os passos errados que dei no meu relacionamento de 2013 à 2015 para ser um bom namorado em 2016 e isso nos levou para uma rua sem saída que terminava em um penhasco.

E isso fode minha cabeça de uma maneira que considero inaceitável, porque eu tinha fucking 30 anos de idade, tava em meu fucking sexto namoro e eu tava tratando o relacionamento como se fosse uma fórmula matemática.

Foi bom que depois disso eu desci da arrogância de achar que só porque eu sou vivido, que já passei por experiências diversas e que aprendi muito com elas, que eu tava isento de cometer um erro tão pedestre que eu jamais cometeria em meus 19 anos.

O que eu tiro disso? Que os meus erros não podem servir como base para atingir futuros acertos. As pessoas são diferentes e é melhor prestar atenção e conhecê-las em vez de ficar presumindo coisas.

Acho que essa conclusão não me atrapalhará quando embarcar em um relacionamento futuro, estando ele próximo ou muito longe.

Ah, e para o cretino que fica me perguntando anonimamente se eu não superei meu última namoro e por isso não paro de falar dele, fica a resposta que superei o namorado, mas as consequências do que vivi ainda tô absorvendo e tentando crescer com elas.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Veneceos’s story.