Meu amor à loucura

Ah…a loucura.

Essa que me persegue por todos estes anos.

Nos cantos escuros

Nas noites solitárias

Nos dias chuvosos

Lá está ela.

Quando eu mais preciso de alguém

A loucura está sempre ao meu lado.

Quando eu me olho sozinho

no espelho do banheiro

com uma faca em minhas mãos

a loucura está tomando conta de mim.

Quando eu choro ao olhar pras estrelas

Quando eu começo a divagar no vazio do universo

Lá está ela.

Não posso ser ingrato.

Largar a loucura?

Deixar esta parceira incansável que nunca me deixou?

Jamais.

Mesmo nos meus dias mais sóbrios,

Ela está comigo.

Pequena ali,

Sossegada.

Na parte direita inferior

do meu cérebro às vezes você até pode enxergar.

Minha bela loucura,

Perdida na insensatez de sua insanidade.

Não é justo.

Essa coisa de não ser louco.

A única que é capaz de me tirar desse mundo sem me matar.

Não posso ser tão normal.

Tão…lúcido.

Afinal de contas, a lucidez nunca me trouxe nada tão bom quanto a loucura.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Victor Purceti’s story.