Para somar à última escrita minha aqui, exponho um arranjo de letras condensadas em música por Rita Lee:

“No espelho não é eu, sou mim.

Não conheço mim, mas sei quem é eu, sei sim.

Eu é cara-metade, mim sou inteira.

Quando mim nasceu, eu chorou, chorou.

Eu e mim se dividem numa só certeza.

Alguém dentro de mim é mais eu do que eu mesma.

Eu amo mim

Mim ama eu”

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.