Duck face & the fuck** mimimi…

Já faz um tempo que queria falar de uma maneira mais extensa e hoje, especialmente com TPM, vou explicar (através de referências) algumas coisinhas sobre as redes sociais e o comportamento de algumas pessoas.

Vamos lá!

  1. “Rede Social é uma estrutura social composta por pessoas ou organizações, conectadas por um ou vários tipos de relações, que compartilham valores e objetivos. Uma das fundamentais características na definição das redes é a sua abertura, possibilitando relacionamentos horizontais e não hierárquicos entre os participantes.” (Fonte: Wikipedia)
  2. “Redes não são, portanto, apenas uma outra forma de estrutura, mas quase uma não estrutura, no sentido de que parte de sua força está na habilidade de se fazer e desfazer rapidamente.” (Fonte: Duarte, Fábio e Frei, Klaus. Redes Urbanas)
  3. “As redes sociais costumam reunir uma motivação comum, porém podem se manifestar de diferentes formas.” (Fonte: Wikipedia)
  4. “O Facebook nunca foi tão chato.” (Fonte: autor desconhecido)

5. “As pessoas encontraram nas redes sociais o seu palanque particular. Sobem lá e falam a torto e direito, qualquer coisa que aconteceu naquele micro-momento. Viu um meme machista? Dão risada como perfeitos imbecis. Viu uma foto nova do coleguinha? Sente-se no direito de criticar nem que seja a cor do rímel que a pessoa está usando ou dizer que aquela expressão é definitivamente uma “duck face”. Viu uma notícia fake? Passa adiante sem pesquisar se é verdadeira, aos berros. Isso sem contar no preconceito, racismo, correntes religiosas, absurdos sobre política, crueldade contra animais e seres humanos, entre otras cositas más. Parem com isso!”(Fonte: Vic Scarsi)

6. “As lutas, as reivindicações e o contexto básico das minorias não são mimimi. É parte de um processo importante que estamos vivenciando: há conscientização ocorrendo por aí. Quando as pessoas se importam com a vida e acham justo amamentar seu filho com leite materno pelo maior tempo possível, elas não estão sendo “estranhas” ou usando discurso de choro. Quem tá chorando no canto querendo atenção é você! Eles só estão querendo manifestar e lutar pelo que eu credito ser certo: A igualdade, o respeito e a compreensão de que só eu por ser diferente de você, não é motivo, não catalisa sua intolerância religiosa, seu sexismo, sua ignorância social ou ódio internetês.” (Fonte: Adolfo Molina Neto)

7. “Entramos numa interminável e irritante onda de sabedoria. Debatemos e discutimos sobre absolutamente qualquer tema proposto como se fôssemos especialistas em tudo. Economia, política, medicina, direito, comunicação, moda, tecnologia e até assuntos mais específicos como a produção de energia se tornaram a trilha sonora dos botecos e das redes sociais.” (Fonte: Alex Vila Verde)

Este texto na verdade poderia continuar, pois referências não faltam, mas o meu grande objetivo com tudo isso é dizer que hoje as pessoas nas redes sociais conseguem, com seus comentários desnecessários, azedar o molho alheio. Conseguem encher o saco com tanta chatice e fazer com que as pessoas pensem seriamente em cair fora desse mundo virtual. Conseguem falar muita asneira e envergonhar a raça humana. Conseguem criar debates e discussões que não chegam em lugar nenhum.

A palavra de ordem do momento é “RESPEITO”. Por mais respeito na hora de compartilhar ou comentar algum post. Por mais respeito diante das diferentes opiniões. Respeitem a variedade. Respeitem a paciência alheia. Respeitem!

E para encerrar, uso a última referência deste texto:

Nem Jesus conseguiu agradar a todos, porque eu iria me preocupar em agradar? (Autor: Isaque Natanael A. T. Araújo)

(Atualização: Para os que adoram mostrar que manjam de Duck Face ao comentar nas fotos que aquela cara é de pato, saibam que já existe uma nova “face” do momento, a Fish Gape ou “boca de peixe”. Podem começar a caçar pelas redes sociais as pessoas que abrem sutilmente a boca na hora do click.)