(Des)informação

Vivemos na era da informação e da comunicação, esse é provavelmente, o momento mais propicio, em toda a história humana, a nos desenvolvermos como sociedade e como seres humanos. A facilidade com que podemos nos aprimorar intelectualmente e com que podemos ter acesso a múltiplas realidades, ao menos na teoria e a distância, para, tentar nos colocar nos sapatos do outro e tentar entender o que se passa fora da nossa segura zona de conforto é imensurável. Esses são alguns dos pontos positivos de se viver, nesse momento, na parte privilegiada do mundo.

Mas esse acesso constante a informação, essa facilidade imensurável que adquirimos de ter a receita de bolo de chocolate em uma aba, o Netflix em outra, as ultimas noticias sobre a crise econômica no Brasil na terceira e as noticias que escorrem sangue na ultima, realmente nos faz mais bem do que mal?

A resposta é: Depende!

Depende do que tu faz com essa quantidade enorme de informação que está ao teu alcance. Depende se tu sabe filtrar aquilo que é real daquilo que é feito pra te direcionar pra um lado, que talvez não seja o que tu quer seguir e acreditar. Depende se tu realmente vai analisar e entender aquela informação
como algo real ou simplesmente vai armazenar na parte do teu cérebro que ficam as coisas descartáveis.

leia tudo que te interessar. Noticias, criticas, artigos, cronicas, poesias, tudo é válido! Mas interprete! Não leve tudo que está escrito na internet, que é dito no rádio e na televisão como uma verdade absoluta. O que é verdade para um pode ser uma mentira descarada para outro, por isso procure andar até o outro lado e ver como são as coisas por lá. Se isso não for feito você corre o risco de cair no meio de uma multidão que ta correndo pro lado errado.

As vezes o “lado errado” é apenas um post desagradável nas redes sociais, mas as vezes é muito pior do que isso!

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.