Tudo é circular (15–12–2015)

Da doença nasceu
Uma flor em meio a podridão

Do mais puro caos
A beleza surge e ofusca

O fim já predestinado
Da lugar a um inicio inesperado

Morte e vida
No ciclo infinito