A noite corta com uma faca afiada meu coração inerte e abarrotado de dor.

Ela é bela e graciosa, louvável como uma obra de arte valiosa, erma como eu.

O silencio reina lá fora, a escuridão encontra seu domínio, e, assim como a noite, me deixo invadir por tais criaturas.

Tristeza maior é não ter alguém para compartilhar a beleza da Lua, a beleza de mim.

A solidão se estende como uma maldição, para mim, e para a noite.

24 Junho 2014

Like what you read? Give Victor Krisna a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.